Escolha sua plataforma e compre
Experimente grátis por um mês com 10 licenças.
Para que vai ser usada a conta?
Cadastre-se
loading

Ao se registrar e usar CogniFit, você aceita que leu, entendeu e que está de acordo com as de Uso e a de Privacidade de CogniFit.

  • Trabalha as redes neuronais que cada criança precisa reforçar mais.

  • Transfere as habilidades treinadas para seu dia-a-dia.

  • Acede aos seus resultados e progressos a qualquer momento.

loading

Programa de estimulação mental desenhado para treinar as redes neurais débeis.

O treinamento cerebral para a dislexia infantil de CogniFit, é um programa neuricientifico que ajuda a melhorar a agilidade mental das crianças com dislexia permitindoaumentar sua capacidade de leitura e escritura, potenciar sua concentração, agilidade de aprendizagem e desempenho acadêmico.Recomendado para crianças menores de 13 anos.

O programa tem sido criado por um equipe de neurologista e psicólogos que aplicam os últimos descobrimentos sobre o cérebro a exercícios mentais na forma de jogos simples. Às crianças adoram e podem jogar online.

Estos jogos estão desenhados para fortalecer a conectividade das redes neuronais envolvidas no processamento do linguajem. É uma fórmula inovadora e eficaz de favorecer a plasticidade neuronal dos mais pequenos enquanto eles se divertem jogando. Porque sem a criança dar-se conta, CogniFit avalia sua saúde cognitiva e apresenta-lhe automaticamente o programa de estimulação que mais lhe convém.

Os exercícios são personalizados e se adaptam á idade e particularidades únicas de cada criança trabalhando as redes neuronais especificas que estão mais afetadas pelo tipo de dislexia. Enquanto eles se divertem, nos estamos potenciando sua capacidade de aprendizagem, rendimento e agilidade mental. Habilidades essenciais para seu pleno desenvolvimento.

O programa de treinamento de CogniFit para pessoas com dislexia foi validado clinicamente e testado em várias escolas, universidades e hospitais de todo o mundo.

Os estudos mostram que as crianças e adultos com dislexiaque treinaram seu cérebro com CogniFit, aumentaram significativamente seu desenvolvimento cognitivo, atividade de trabalho e rendimento na leitura (amentando em 14,73% o numero de palavras corretas lidas por minuto). Além disso, os resultados persistiam até seis meses depois do treinamento, tendo um efeito extremamente positivo sobre a dislexia.

Tecnologia CogniFit

Validada clinicamente

Exercicios para tratar a dislexia

1

Avaliação e diagnóstico persanalizado, detecção automatica do grau de disfunção.

2

Trabalha e melhora as habilidades cerebrais mais deterioradas

3

Reforça as areas cognitivas especificas afetadas por dislexia.

Dislexia Tratamento

As vezes a dislexia nem é fácil de diagnosticar já que as escolas não estão preparadas para detectá-la e ajudar as crianças que padecem ela com as ferramentas e tratamentos necessários. Desta forma, a maioria das vezes o peso recai nas próprias famílias, que são as que devem se esforçar em detectar quanto antes a doença, e em tomar as medidas especificas para cada caso. Porque quanto antes começar a tratar a dislexia infantil e a apoiar e entender aos jovens que padecem ela, teremos mais opções de superar a doença e evitar os possíveis problemas associados de frustração e sofrimento.

Mais, como tratar a dislexia? É muito importante um devido acompanhamento dia a dia e não esperar que se produza o fracasso para atuar, já que estaríamos perdendo tempo muito valioso. O tratamento mais eficaz é a detecção precoce, é essencial para minimizar as dificuldades no desenvolvimento e aplicar um programa de intervenção adequada a cada perfil.

Uma das vantagens trazidas pelo programa de intervenção cientifica de CogniFit é que é adaptável as necessidades de cada perfil e trabalha os circuitos neuronais específicos que mas precisa reforçar cada criança. Além disso, recolhe os dados de desempenho e mostra sua evolução e destreza nas 24 habilidades cognitivas fundamentais.

A avaliação contínua de CogniFit ajuda a detectar as áreas cognitivas mais debilitadas e ajusta o regime de treinamento adequadamente.

Um dos pontos fortes de CogniFit é que todos os programas de estimulação estão desenhados para transferir as habilidades treinadas ao dia a dia, pelo que os resultados podem se apreciar rapidamente.

Cérebro com dislexia: Redes de conexões neurais

Rede neural antes da estimulação Rede neural depois de 2 semanas de estimulação Rede neural depois de 2 meses de estimulação # t: 54;t: 55;"> Rede neural antes da estimulação Rede neural depois de 2 semanas de estimulação Rede neural depois de 2 meses de estimulação

Validação Cientifica: Estudos que suportam a eficácia de CogniFit no tratamento da dislexia infantil

Universidade de Haifa

O programa de treinamento personalizado CogniFit aumenta as destrezas em estudantes disléxicos

Pessoas com dislexia que recebem estimulação cognitiva de CogniFit, aumentam de forma significativa seu desenvolvimento cognitivo, atividade de trabalho e rendimento na leitura (aumentando num 14.73% o numero de palavras corretas lidas por minuto). Além disso, os resultados se prolongaram até seis meses depois do treinamento, tendo um efeito extremamente positivo sobre a dislexia. Ver estudo completo

Definição de dislexia

A dislexia é muito mais comum do que pensamos, pois afeta a mais do 10% da população. A dislexia é a deficiência neurológica que afeta o processo de aprendizagem, dificultando a leitura, escrita e decodificar com facilidade a linguagem ou os símbolos.

Quando as pessoas disléxicas leem, elas focam a maior parte da atenção na decodificação dos sons ou nas diferentes letras e pronúncia de cada palavra. Este esforço causa o colapso na memória operacional, impedindo o cérebro distribuir recursos a outras tarefas mentais superiores como a compreensão escrita.

Vários estudos definem a dislexia como o déficit na conexão neural ralacionado ao processamento da linguagem. Por isso, as pessoas disléxicas têm dificuldade para visualizar palavras, devido a uma disfunção em sua rede neural entre as regiões cerebrais associadas ao processamento da linguagem e da fonologia.

Definição de dislexia

A dislexia pode ser hereditária, a razão pela qual é comum em diferentes membros da mesma família. Os meninos e meninas com uma inteligência normal, sem problemas psicológicos, físicos ou de outro tipo, e cujos problemas para ler não afetam outras capacidades cognitivas, podem ser afetados por dislexia. De fato, as pessoas com dislexia geralmente têm sentidos mais acentuados e desenvolvem um nível mais elevado de inteligência e de capacidade criativa.

Nem todos os tipos de dislexia apresentam a mesma intensidade, mas é essencial diagnosticar e tratar o transtorno o quanto antes possível para evitar problemas de desenvolvimento, perda de autoestima, frustração e problemas na escola.

A dislexia infantil

A dislexia infatil pode ser detectada durante a faze pré-escolar. Se não é tratada, os sintomas podem permanecer além da infância ou adolescência e mesmo perdurar durante a idade adulta.

Embora cada criança é única, as que apresentam dislexia tendem a começar a falar mais tarde, têm uma capacidade de compreensão auditiva mais fraca e possuem menos termos em seu vocabulário, comparadas com outras crianças da sua idade. Muitas vezes, confundem as letras, como o "b" e o "d" (ou “p” e “q”), e também podem apresentar pouca capacidade de atenção.

Esta falta de concentração não é intencional. Considerando que as crianças com dislexia têm que trabalhar duas vezes mais para ler e escrever, elas se cansam e distraem mais rápido.

Atividade cerebral durante a leitura em leitores comuns Atividade cerebral durante a leitura em leitores disléxicos # t: 54;t: 55;"> Atividade cerebral durante a leitura em leitores comuns Atividade cerebral durante a leitura em leitores disléxicos

Imagem de um cérebro com dislexia

Como as crianças com dislexia precisam de apoio e incentivo dos pais e educadores, é essencial detectar o transtorno o antes possível. Entender e ajudar a criança é imporante para que possa se desenvolver e integrar adequadamente no entorno escolar, o que lhe permite competir.

Quando a dislexia não é detectada e tratada desde cedo, tende a produzir um efeito de "bola de neve". À medida que as crianças começam a ser menos produtivas na escola, podem se tornar mais insatisfeitas, se sentindo fracassadas. Muitas vezes, isso causa problemas de autoestima e emocionais como a depressão, ansiedade e mesmo o abandono escolar.

A dislexia e o cérebro

As crianças com dislexia apresentam determinadas anormalidades neurológicas. As células que formam os circuitos linguísticos não estão organizadas adequadamente. o que dificulta o organismo para decodificar palavras e compreender o que está sendo lido.

. Déficits no processamento de linguagem. . Memória operacional deficiente. . Problemas com a velocidade de processamento. # t: 54;t: 55;"> Para ler de forma eficiente, são necessários os processos de interpretação, além dos de compreensão e aprendizagem, conhecidos como "estratégia léxica", a forma em que o cérebro abrange o texto para o entender. As dificuldades das crianças com dislexia são causadas pela combinação de:

  • Déficits no processamento de linguagem.
  • Memória operacional deficiente.
  • Problemas com a velocidade de processamento.

O programa de CogniFit para a dislexia é uma ferramenta científica para tratar esses processos cognitivos e funções cerebrais. Ler é um processo complexo. Não implica apenas decifrar representações visuais, também requer a compreensão do significado da palavra e ser capaz de criar vínculos entre as palavras de uma frase.

O cérebro disléxico apresenta um padrão de déficit cognitivo em três áreas cerebrais específicas. Esses circuitos neurais afetados são responsáveis pelo processamento da informação linguística e são as áreas que o programa de CogniFit para combater a dislexia ajuda a corregir.

Características da dislexia

Os sintomas da dislexia podem ser diferentes de uma criança para outra, e nem todas que sofrem o transtorno terão os mesmos problemas de leitura. Os sintomas são inconsistentes e podem incluso mudar no mesmo dia e evoluir de forma diferente à medida que as crianças crescem.

Essas são algumas das características da dislexia:

  • Problemas com as funções executivas

    : As funções executivas incluem uma ampla variedade de habilidades cognitivas complexas, responsáveis pelo planejamento de tarefas quando são dividivas em múltiplas fases. Essas fases poderiam iniciar com a análise da tarefa e seus requisitos, depois a organização e determinação do tempo necesário para organizá-la, estruturar a carga de trabalho, estabelecer objetivos, avaliar as ações implementadas e ajustá-las de acordo com os resultados, etc. A dificuldade no desenvolvimento executivo é uma das características mais comuns na dislexia. Isso indica que qualquer tarefa que requer um planejamento (por exemplo: limpar o quarto ou concluir os deveres) pode representar um verdadeiro desafio para as crianças com dislexia
  • Dificuldade para aprender e se comunicar

    : redução da capacidade para compreender instruções rápidas ou entender brincadeiras e expressões cujo significado não é fácil de entender apenas com as palavras específicas expressão idiomática), tais como “do nada” que significa que uma coisa acontece de forma inesperada. A incapacidade para aprender novas palavras e pronunciá-las corretamente. Se sentir inseguro ao falar ou expressar ideias, etc.
  • Dificuldade para ler

    : Dificuldades para decrifrar e lembrar de quaisquer códigos ou símbolos linguísticos, tornando a leitura uma tarefa difícil. As crianças com dislexia entendem mal com frequência a pronúncia de palavras e têm dificuldade para processar e entender o que elas leem. Desta forma, a maioria das vezes não têm interesse na leitura.
  • Dificuldade para escrever

    : Como as crianças disléxicas têm dificuldade para lembrar da ortografia das palavras ao longo do tempo e para aplicar as regras ortográficas elas cometem erros de gramática com frequência. Têm dificuldade para expressar suas ideias na escrita. Às vezes, mesmo entendendo o professor, elas têm dificuldade para fazer anotações. A aderência do lápis é geralmente incomum, tornando a caligrafia irregular, dificilmente legível, muito grande ou muito pequena.

ul>

  • Sintomas na coordenação motora e orientação espacial

    : Dificuldade para distinguir a esquerda da direita, para cima e para baixo, dentro e fora, etc. Este problema pode estar associado à confusão. As crianças parecem mais torpes do que outras e se perdem com mais frequência. Não são muito boas nos esportes que exigem coordenação, como o ciclismo ou qualquer esporte em equipe como o futebol.
    • Distorção da estimativa do tempo

      : Dificuldade para administrar o tempo e confusão com a data do dia.
    • Dificuldade com os problemas de matemáticas

      :Como elas têm dificuldade para reconhecer símbolos, é difícil fazer aritmétrica, pois isso inclui símbolos como os de adição, subtracção, multiplicação, etc. As crianças com dislexia também têm dificuldade para memorizar as tabuadas de multiplicar.
    • Problemas com o envolvimento social e emocional

      : As crianças com dislexia podem ser excluídas, problemáticas ou demasiado tranquilas. São extremamente desordenadas ou compulsivamente ordenadas. Cada crainça é diferente e podemos ver casos de rebelião e intolerância, além de casos de submissão.
    Sintomas da dislexia

    Tipos de dislexia

    Embora alguns sintomas são com frequência comuns na dislexia, os cientistas identificaram vários tipos de dislexia. O uso do termo distingue essencialmente entre a forma de dislexia genética e adquirida.

    • Dislexia adquirida

      : Ocorre com o decorrer da vida e normalmente é de origem genética ou hereditária. Com frequência, aparece após uma lesão cerebral traumática ou dano cerebral, como a demência ou um derrame, que afeta as áreas da linguagem responsáveis pelo processamento das letras.
    • Dislexia do desenvolvimento

      : Este tipo de dislexia aparece geralmente em um ambiente acadêmico. Não é causada por nenhum tipo de lesão cerebral ou acidente e está presente desde o nascimento. Existem vários tipos de dislexia dentro desta classificação, mas este artigo vai focar nas variedades que afetam o processamento e o funcionamento do cérebro: dislexia superficial, dislexia fonológica e dislexia mista ou disfonética.
    • Dislexia superficial

      : A maioria das vezes é uma forma de dislexia adquirida, mas também pode ser de desenvolvimento. As crianças com dislexia superficial não mostram dificuldades importantes para ler. Este tipo de dislexia está associado com o pouco processamento de informação na área visual, léxica e nos acessos diretos do nervo, indicando que a criança pode pronunciar palavras, mesmo sem sentido, mas têm que dividir elas em fragmentos ou sílabas para poder ler. Se torna ainda mais complicado quando as palavras não são compatíveis com a pronúncia.
    • Dislexia fonológica

      : O tipo mais comum de dislexia, sinônimo da própria dislexia. É principalmente um tipo de dislexia de desenvolvimento, mas em alguns casos pode ser um tipo adquirido após sofrer um derrame ou a doença de Alzheimer. As crianças com dislexia fonológica têm muita dificuldade para ler palavras longas, desconhecidas ou raras. Porém, são capazes de ler corretamente palavras conhecidas. Este tipo de dislexia está associado com as áreas cerebrais que processam os sons da língua, indicando que as crianças que sofrem este transtorno normalmente leem através de métodos léxicos ou visuais, mas têm problemas com o processamento auditivo.
    • Dislexia profunda

      : É um tipo de dislexia adquirida. Uma das formas mais severas, pois o indivíduo perde a capacidade existente para ler. Os disléxicos profundos têm dificuldade para pronunciar e reconhecer palavras inteiras, pois a área fonológica e as vias visuais e neuronais estão afetadas
    Tipos de dislexia

    Como é possível detectar a dislexia?

    Considerando este aspecto cognitivo, os casos de dislexia tendem a aprensentar os mesmos padrões de déficits em habilidades como a memória operacional, mas geralmente também existem problemas com o tempo de reação, a velocidade de processamento e as funções executivas. Os baixos níveis dessas habilidades cognitivas podem ser um indicador de dislexia.

    Descobrir se sofremos desse transtorno de aprendizagem não é sempre fácil. Porém, o programa de avaliação neuropsicológica validado de CogniFit nos permite detectar nossos níveis operativos e de memória operacional, além de outras habildiades cognitivas estreitamente ligadas à dislexia, como a memória auditiva de curto prazo, a nomeação, a memória visual, a atenção dividida, o foco, o planejamento e a velocidade de processamento.

    Como detectar a dislexia

    Existe uma cura para a dislexia?

    A dislexia é um transtorno crônico, indicando que não desaparece com o tempo. Porém, não é motivo para se alarmar. Uma pessoa com dislexia vai aprender a se expressar de diferente forma à medida que evolui.

    O mais importante em um caso de dislexia é fazer um diagnóstico precoce. Quanto mais depressa proporcionemos as ferramentas que as crianças precisam para se adaptar ao processo de aprendizagem, melhores chances vão ter para aperfeiçoar seus recursos mentais e ter uma vida plena.

    CogniFit avalia e ajuda a fortalecer as redes neurais afetadas por dislexia. Nos adaptamos às necessidades de cada perfil individual e trabalhamos os circuitos neurais específicos que precisam mais reforço em cada criança. Trabalhamos com várias associações e escolas especializadas em transtornos de aprendizagem, e, embora a dislexia não tem cura, foi provado que as crianças com dislexia que usam CogniFit podem aumentar suas funções executivas, sua capacidade para detectar erros, a memória operacional e o tempo de reação. Isso melhora visivelmente a fluidez de leitura, a escrita e a habilidade para compreender, sintetizar e aprender.

    Como curar a dislexia

    É possível corregir a dislexia?

    células cerebrais, pois quanto antes usemos as ferramentas que nos ajudam a fortalecer as conexões neurais associadas ao processamento da linguagem, vamos aprender mais métodos para compensar as funções deterioradas. # t: 54;t: 55;"> Quando uma criança é diagnosticada com dislexia em uma idade mais jovem, mas é capaz de iniciar um programa de tratamento personalizado, tem mais oportunidade para desenvolver estratégias alternativas que ajudarão a se adaptar ao seistema de aprendizagem. Nos primeiros anos de vida, o cérebro tem mais plasticidade e capacidade para desenvolver novas células cerebrais. Por isso, quando antes usemos as ferramentas que nos ajudam a fortalecer as conexões neurais associadas ao processamento da linguagem, vamos aprender mais métodos para compensar as funções deterioradas.

    Um tratamento precoce também ajudará a evitar outros transtornos secundários emocionais, relacionados à dislexia.

    Se você pensa que uma pessoa pode ser disléxica, aconselhe visitar um especialista para fazer os testes de diagnóstico, que ajudarão a detectar quaisquer alterações e oferecerão um programa de treinamento específico para ajudar a melhorar as habilidades cognitivas usadas na linguagem. A pessoa também pode estar afetada a nível cognitivo e apresentar falta de atenção e problemas com a memória operacional e a memória de curto prazo, a velocidade de processamento e outras habilidades cotidianas importantes.

    A cognição ajudou a desenhar nossos jogos cerebrais para tratar a dislexia. Esses exercícios são adaptados para as necessidades específicas de cada pessoa e foram desenhados para fortalecer a conexão entre as redes neurais usadas no processamento da linguagem. As pessoas com dislexia que treinam o cérebro com CogniFit estimulam suas funções executivas, sua habilidade para detectar erros, a memória operacional e a velocidade de reação, que melhora visivelmente a fluência de leitura, a escrita e a habilidade para compreender e aprender. # t: 54;t: 55;"> Um dos programas de tratamento disponíveis para os transtornos de aprendizagem é CogniFit. Uma equipe de neurologistas e psicólogos cognitivos especializados em transtornos do desenvolvimento neurológico e na cognição ajudaram a desenhar nossos jogos cerebrais para tratar a dislexia. Esses exercícios estão adptados às necessidades específicas de cada pessoa e foram desenhados para fortalecer as conexões neurais usadas no processamento da linguagem. As pessoas com dislexia que treinam o cérebro com CogniFit estimulam suas funções executivas, sua habilidade para detectar erros, a memória operacional e a velocidade de reação, que melhora visivelmente a fluência de leitura, a escrita e a habilidade para compreender e aprender.

    Como solucionar a dislexia

    Referências

    Thompson HJ, Demiris G, Rue T, Shatil E, Wilamowska K, Zaslavsky O, Reeder B. - Telemedicine Journal and E-health Date and Volume: 2011 Dec;17(10):794-800. Epub 2011 Oct 19.

    Horowitz-Kraus T, Breznitz Z. - Can the error detection mechanism benefit from training the working memory? A comparison between dyslexics and controls- an ERP study - PLoS ONE 2009; 4:7141.

    Peretz C, Korczyn AD, Shatil E, Aharonson V, Birnboim S, Giladi N. - Computer-Based, Personalized Cognitive Training versus Classical Computer Games: A Randomized Double-Blind Prospective Trial of Cognitive Stimulation - Neuroepidemiology 2011; 36:91-9.

    Preiss M, Shatil E, Cermakova R, Cimermannova D, Flesher I (2013) Personalized cognitive training in unipolar and bipolar disorder: a study of cognitive functioning. Frontiers in Human Neuroscience doi: 10.3389/fnhum.2013.00108.

    Por favor, escreva o seu endereço de e-mail