Escolha sua plataforma e compre
Experimente grátis por um mês com 10 licenças.
Para que vai ser usada a conta?
Cadastre-se
loading

Ao se registrar e usar CogniFit, você aceita que leu, entendeu e que está de acordo com as de Uso e a de Privacidade de CogniFit.

corporativelanding_percepcion-auditiva_social_picture
  • Acesse uma bateria completa de testes cognitivos para avaliar a percepção auditiva

  • Identifica e analisa a presença de alterações ou déficits

  • Recursos validados para ajudar a melhorar ou reabilitar a percepção auditiva e outras funções cognitivas

loading

O que é a percepção auditiva?

O telefone toca e, quando você responde, ouve sua mãe do outro lado perguntando como você está. Você é capaz de decifrar o que ela está falando fácil e rapidamente, reconhecendo a voz dela e ouvindo seu estado emocional no início da ligação. Porém, esta tarefa aparentemente simples é na verdade muito complexa, pois são necessárias uma série de estruturas do cérebro especializadas na percepção auditiva e no reconhecimento de seus subcomponentes.

A percepção é a capacidade para interpretar informações que nossos sentidos recebem do entorno. De fato, esta interpretação é um processo ativo que depende de nossos processos cognitvos e conhecimentos prévios. A percepção auditiva poderia ser definida como a capacidade para receber e interpretar informações que chegam aos ouvidos através das ondas de frequência transmitidas pelo ar ou outros meios. Existem uma série de processos para seguir e perceber os sons de nosso entorno:

  • Recepção da informação: Quando um objeto vibra, como a voz humana (as cordas vocais vibram), as ondas produzidas por esta ação são transmitidas pelo ar ou outros meios. Quando essas ondas chegam ao ouvido interno, algumas células são ativadas.
  • Transmissão da informação: As células produzem um sinal que é transmitido através de diferentes núcleos até chegar ao tnúcleo geniculado medial no tálamo.
  • Manipulação da informação: Finalmente, a informação auditiva recebida pelo ouvido é enviada ao córtex auditivo nos lobos temporais. A informação é manipulada e enviada ao resto do cérebro para permitir que você possa interagir com ele.

Características acústicas e fases da percepção auditiva

Para que a percepção auditiva aconteça, o cérebro deve analisar as propriedades e características do som:

  • Intensidade: Indica se o volume é alto ou baixo.
  • Tom: Indica se o som é mais alto ou mais baixo
  • Timbre Nos permite distinguir e reconhecer vozes, instrumentos ou sons. Geralmente são identificados como a "cor" do som.
  • Duração: O tempo que dura a vibração do som

A percepção auditiva é um processo de várias etapas.

  • Deteção: A parte mais básica de ser capaz de perceber um estímulo auditivo é que ele tenha a intensidade suficiente para chegar aos nossos ouvidos. Também é necessário que o som tenha uma faixa audível. Se possui estas duas condições, o cérebro é capaz de detectar onde está o objeto que produz a vibração e se ele se move. Se uma pessoa fala muito baixo, não somos capazes de ouvi-la.
  • Discriminação: Para perceber e apreciar um som, temos que ser capazes de diferenciar o som de outros ruídos de fundo. Se você estiver em um restaurante ou festa onde há muito ruído, é possível que você não seja capaz de ouvir o que o orador está dizendo.
  • Identificação e reconhecimento: Temos que ser capazes de identificar de onde vem o som, se de uma voz, instrumentos ou qualquer outra fonte. Isso inclui a reorganização de nossa relação pessoas com o som (por exemplo "é a voz de meu amigo ou amiga"). Para perceber uma voz, precisamos ser capazes de identificá-la e não confundi-la com outro som, além de identificar a voz, se é de um amigo ou de uma pessoa estranha.
  • Compreensão: É essencial entender o som que ouvimos, seja uma mensagem (uma pessoa nos diz algo) ou o significado de um som (a campainha advertindo que a aula terminou). Se um amigo em uma festa diz para você que tem que ir embora, é importante entender a mensagem que ele nos transmite.

É evidente que a audição exerce uma função importante em nossas vidas cotidianas, estando presente em quase todas as tarefas que realizamos. Ela nos permite interagir adequadamente com o nosso entorno, nos comunicarmos fluidamente e nos alerta se existem riscos ao nosso redor, além de nos permitir apreciar a música.

Exemplos de percepção auditiva

  • A partir do momento que você vai à escola, no jardim de infância, até a sua última aula na faculdade, é necessário possuir uma boa capacidade de percepção auditiva no âmbito acadêmico, pois isso permite você seguir e entender o que o professor explica. Uma capacidade de percepção deficiente que não é tratada com ajuda adicional, seja visual ou com outros recursos, pode causar problemas de compreensão durante uma conversa ou leitura, causando um baixo rendimento na escola..
  • Seja em reuniões ou conversas, a maioria dos empregos exigem o uso constante da percepção auditiva. Uma comunicação fluida é a base do trabalho com os clientes, e por isso é imporante possuir uma boa capacidade de percepção auditiva para um desenvolvimento profissional eficiente.
  • A percepção auditiva é uma parte chave para uma condução segura. Em situações de perigo, o som da buzina de outro carro pode ajudar você a prestar atenção, alertando que ocorre alguma coisa. Adicionalmente, ouvir o som do carro e do motor ajudará a saber se ocorre qualquer coisa errada com o carro e se você precisa dar uma olhada.
  • Para a música, a capacidade de percepção auditiva é tudo. Se você quiser tocar uma música na guitarra ou no piano, e que soe bem, você tem que ter uma boa capacidade de percepção auditiva para testar e prestar atenção a cada nota. Ouvir e perceber a música também exige, geralmente, a capacidade de percepção auditiva (embora é possível sentir as vibrações e percebê-las desta forma).
  • Detectar, identificar, reconhecer e entender os sons ao seu redor, possibilita a sua adaptação ao ambiente. Não permite apenas a sua adaptação à rua ou ao lar, mas como somos animais sociais, também permite nos comunicarmos com outras pessoas fácil e eficazmente.

Patologias e transtornos associados aos problemas de percepção auditiva

É possível que aconteçam alterações na percepção auditiva

A incapacidade para perceber os sons, ou algum tipo de deficiência durante esse processo é conhecida como surdez. Isto pode estar causado por uma lesão nos órgaõs receptivos, nas vias que trazem informação para o cérebro (hipoacusia e hiperacusia) ou nas áreas do cérebro dedicadas ao aquecimento (surdez cortical).

Porém, a percepção não funciona por si só. Um dano determinado, como um derrame ou lesão cerebral, pode alterar cada um dos processos específicos mencionados acima. Esses tipos de doenças estão causadas por uma lesão nas partes específicas do cérebro responsáveis pelos processos alterados. A afasia de Wernicke faz alusão à incapacidade para entender a linguagem (o paciente vai sentir que ouve uma língua desconhecida). Porém, a agnosia auditiva é a incapacidade para reconhecer um objeto citado, significando que a pessoa não vai reconhecer quando alguém faz alusão a um objeto verbalmente. Também pode causar a incapacidade para perceber e apreciar a música, conhecido como amusia (incapacidade para reconhecer ou reproduzir tons ou ritmos musicais). Em alguns casos, é possível que o dano seja mais específico, perdendo apenas a capacidade para localizar ou imitar sons.

Além dos transtornos que causam uma dificiência auditiva, existem alguns transtornos que fazem a pessoa ouvir sons que não existem. Um desses transtornos mais comuns é o tinido, que faz a pessoa ouvir zumbidos constantes. Em outros casos, o problema faz o cérebro ativar erroneamente o córtex auditivo, provocando alucinações. Isso pode acontecer em transtornos como a esquizofrenia, quando as alucinações podem se tornar uma ameaça. Outros casos são as alucinações musicais, quando a pessoa ouve música como se viesse do rádio, mas não é capaz de desligá-la. No caso da paracusia de Willis, as alucinações auditivas são acompanhadas de uma capacidade de audição reduzida.

Como é possível analisar e avaliar a percepção auditiva?

A percepção auditiva nos permite fazer várias atividades cotidianas de forma rápida e eficiente. Nossa capacidade para nos adaptarmos ao nosso ambiente está intimamente ligada à percepção auditiva, a razão pela qual pode ser muito útil conhecer a capacidade de percepção auditiva da pessoa em várias áreas. Por exemplo, no âmbito acadêmico, para saber se uma criança precisa de ajuda visual ou apoio na sala, ou se as possíveis dificuldades de aprendizado derivam de uma capacidade deficiente de percepção auditiva, em áreas médicas, para saber se um paciente entende completamente quais os medicamentos que deve tomar e se é capaz de se adaptar ao seu ambiente e no ambiente profissional , para que um empregado possa se comunicar adequadamente dentro da empresa ao lidar com o público.

Com a ajuda de uma avaliação neuropsicológica completa, é possível identificar eficientemente e avaliar de forma segura um número de funções cognitivas essenciais, como a percepção auditiva. Os testes que CogniFit usa para avaliar a capacidade de percepção auditiva foram inspirados no clássico teste NEPSY de Korkman, Kirk e Kemp (1998), o Test of Memory Malingering (TOMM) e o Test of Variables of Attention (TOVA). Além da memória auditiva, os testes também analisam a nomeação, o tempo de reação, a velocidade de processamento, a memória operacional, a flexibilidade cognitiva, a memória visual, a percepção visual e o reconhecimento.

  • Teste de identificação COM-NAM: Objetos apresentados como uma imagem ou som. O usuário deverá identificar se o objeto foi apresentado como uma imagem, palavra falada ou se já foi apresentado anteriormente.
  • Teste de investigação REST-COM: Uma série de imagens será exibida durante um período curto de tempo. O usuário deve escolher as palavras que correspondam com as imagens o mais rápido possível.

Como é possível reabilitar ou melhorar a percepção auditiva?

Todas as habilidades cognitivas, incluindo a percepção auditiva, podem ser treinadas e melhoradas. CogniFit possui os recursos profissionais para torná-lo possível.

A Plasticidade cerebral é a base da reabilitação da percepção auditiva e de outras habilidades cognitivas. CogniFit possui uma bateria de exercícios clínicos criados para ajudar a reabilitar os déficits na percepção auditiva e em outras funções cognitivas. O cérebro e as conexões neurais podem ser fortalecidas com desafios e exercícios. Realizar essas tarefas com frequência ajudará a fortalecer as estruturas cerebrais realacionadas com a percepção auditiva. Isso significa que quando os seus ouvidos enviam informações para o cérebro e o cérebro as processa, as conexões serão executadas de forma mais rápida e eficiente, melhorando a capacidade geral de percepção auditiva.

CogniFit possui uma equipe de especialistas que pesquisam sobre os processos de plasticidade sináptica e neurogénese, permitindo a criação do programa personalizado de estimulação cognitva para treinar a cada usuário de forma individual. O programa começa com uma avaliação detalhada da capacidade de percepção auditiva e de outras funções cognitivas essenciais. Depois, o programa reúne os resultados obtidos da avaliação e cria um programa personalizado que ajuda a treinar as capacidades mais deficientes do usuário.

A chave para melhorar a capacidade de percepção auditiva é um treinamento consistente. CogniFit possui avaliações profissionais e recursos de treinamento para ajudar a particulares e profissionais a melhorar essa capacidade. Apenas são necessários 15 minutos por dia, de duas a três vezes por semana.

O programa personalizado de estimulação cognitiva de CogniFit está disponível online. Existe uma ampla variedade de atividades e jogos cerebrais interativos que podem ser reproduzidos em um computador ou dispositivo móvel. Após cada sessão, CogniFit proporcionará um gráfico detalhado com o progresso cognitivo do usuário.

Por favor, escreva o seu endereço de e-mail