Escolha sua plataforma e compre
Experimente grátis por um mês com 10 licenças.
Para que vai ser usada a conta?
Cadastre-se
loading

Ao se registrar e usar CogniFit, você aceita que leu, entendeu e que está de acordo com as de Uso e a de Privacidade de CogniFit.

corporativelanding_Memoria-contextual_social_picture
  • Acesse uma bateria de avaliação completa para avaliar a memória contexual e outras habilidades cognitivas

  • Identifique e analise a presença de alterações ou déficits

  • Estimule e melhore a memória contextual e outras funções com exercícios clínicos

loading

O que é a memória contextual?

A memória contextual pode ser definida como a habilidade para memorizar e discernir a origem de uma memória específica. Esse tipo de memória pode incluir o tempo, o lugar, as pessoas, a emoção ou qualquer outro tipo de informação contextual relacionada à memória. A codificação parcial ou errônea da informação contextual de um evento determinado pode ser causada pela falta de tempo, o estresse, as distrações ou um déficit nas habilidades de processamento de informações.

A memória contextual é um processo básico da memória a longo prazo, que faz alusão à habilidade para lembrar de circunstâncias emocionais, sociais, espaciais ou temporais relacionadas a um acontecimento. Em outras palavras, é a habilidade que nos permite lembrar dos diferentes aspectos derivados da aprendizagem de algo novo.

Por exemplo, é possível que você ouça uma música que faça se lembrar do dia de seu casamento e do nervoso que você estava. Ou, talvez, você não gosta da cor verde porque era a cor favorita de seu ex-namorado/ex-namorada.

A memória contextual é um elemento principal do processo cognitivo, que é essencial para o desenvolvimento de uma memória eficiente. A memória contextual tem a habilidade de fazer você lembrar do passado. Por exemplo, associando um espaço com um acontecimento horrível (só porque aconteceu ali uma vez), ou uma música com alguém especial, fazendo da realidade um elemento fundamental da existência.

A memória contextual é definida como a organização temporária de consequências de acontecimentos, a identificação do lugar onde aprendemos novas informações e a fonte das novas informações. A memória contextual é a recordação consciente da fonte e das circunstâncias de uma memória específica.

A memória contextual é importante porque favorece a aprendizagem e a recuperação de informações. Ao pensar sobre as condições ou o entorno no qual aprendemos alguma coisa, nossa mente pode recompor a situação, sendo mais fácil lembrar da informação que estávamos procurando.

Por exemplo, se queremos lembrar de um conceito aprendido na sala de aula, será mais fácil lembrar dele se pensamos sobre o momento em que foi aprendido, o que o professor disse, se a aula foi boa ou chata, se alguém estava falando, se você estava feliz ou contrariado, etc. Por exemplo, se você quer se lembrar de algo que aprendeu na sala de aula, se lembrar de outras coisas que acontecem ao mesmo tempo vai contrubuir para isso. Tente se lembrar de como você estava se sentido esse dia, se era uma aula divertida, se alguém próximo de você estava falando, etc.

Exemplos de memória contextual

  • Você ouve uma música mesmo que não seja um novo lançamento e resulta familiar. Tenta se lembrar de onde e quando você a ouviu anteriormente. Pesquisa em sua memória e se lembra de a ter ouvido faz três dias no rádio, no momento que ia fazer mercado com sua filha. Também se lembra de que, mesmo que gostou da música, sua filha desligou o rádio.
  • Alguém conta uma história e você percebe que já a ouviu anteriormente. Você pensa nisso e se lembra de que sua avó contou essa mesma história uma tarde chuvosa, faz anos.
  • Você sabe que a filha de sua amiga foi morar na França. Quer se lembrar em que lugar da França. Pesquisa em sua memória e se lembra de que era em Toulouse e que ficou sabendo no e-mail de despedida que ela enviou para você e para todas as pessoas conhecidas, faz um ano.

Transtornos ou patologias relacionados aos déficits de memória contextual

A memória contextual pode ser afetada por patologias que atingem o lobo frontal, como a demência ou um derrame com lesão cerebral no lobo frontal, e muitas outras patologias que afetam essa área.

Outras partes do cérebro, como o hipocampo e o córtex retrosplenial estão relacionadas com o processamento de memória contextual e são fundamentais para a criação de memórias contextuais.

A memória contextual deficiente está associada com um grande sentido do "atual". No momento, os cientistas estão debatendo sobre os possíveis vínculos entre a memória contextual e a propensão à psicose.

Como é possível avaliar os déficits da memória contextual?

Com a avaliação neuropsicológica completa de CogniFit, você pode medir de forma efieiente e precisa a memória contextual do usuário.

A bateria de avaliação cognitiva permite medir com precisão o nível cognitivo geral do usuário, e inclui uma série de testes cognitivos desenhados especificamente para medir a memória contextual.

Para avaliar a memória contextual, usamos os testes específicos inspirados pelo clássico teste de memória contextual de Togalia (1993). Foi demonstrado que a deterioração da memória contextual está associada com o lobo frontal e não necessariemente com a idade.

Com o Teste de investigação REST-COM e o Teste de identificação COM-NAM,você pode ver os níveis de classificação de estímulos na memória do usuário. Podemos determinar essas classificações identificando as semelhanças no mesmo grupo. Desse jeito, contribuirá para observar a habilidade do usuário para realizar um teste de reconhecimento o mais rápido possível.

O objetivo dos testes é ajudar o usuário a lembrar dos diferentes aspectos do mesmo contexto. Em outras palavras, ajuda o usuário a pensar sobre os aspectos individuais de um acontecimento para depois lembrar deles em conjunto.

Esta avaliação não só analisa a memória contextual. Ela também avalia a atualização, a nomeção, o tempo de resposta, etc.

É possível estimular e melhorar a memória contextual?

Absolutamente. Da mesma forma que outra habilidade cognitiva, a memória contextual pode ser treinada, adquirida ou melhorada e CogniFit pode contribuir para isso.

O treinamento cognitivo, como o método paliativo para o tratamento dos problemas de memória, é um método comprovado que pode ser usado tanto por profissionais quanto por usuários particulares.

Graças à plasticidade cerebral (ou neuroplasticidade), podemos fortalecer as conexões neurais mais vulneráveis e causantes da memória contextual deficitária, o que ajudará a melhorar a eficiência nesses circuitos neurais.

A avaliação neurocognitiva de CogniFit analisará a memória contextual, e baseada nos resultados obtidos, ela vai proporcionar automaticamente um regime de treinamento completo com exercícios cognitivos personalizados para ajudar a melhorar a memória contextual.

O programa de avaliação neuropsicológica e estimulação cognitiva de CogniFit foi desenhado por uma equipe de neurologistas e psicólogos cognitivos que estudam e plasticidade sináptica e a neurogênese. Só são necessários 15 minutos, 2 ou 3 vezes por semana para estimular os neurônios e os processos cognitivos.

O programa está disponível online. O diferentes exercícios interativos são apresentados no formato de divertidos jogos cerebrais. Após cada sessão, CogniFit vai exibir um gráfico com o progresso do usuário.

Foi provado que a bateria online de exercícios clínicos de CogniFit estimula a criação de novas sinapses e circuitos neurais para reorganizar e recuperar a função das áreas cognitivas mais deterioradas, entre as quais está a memória contextual.

Por favor, escreva o seu endereço de e-mail