Escolha sua plataforma e compre
Tente um mês grátis de carga com 10 licenças.
Escolha sua plataforma
Cadastre-se
loading

Ao se registrar e usar CogniFit, você aceita que leu, entendeu e que está de acordo com as de Uso e a de Privacidade de CogniFit.

afterLand how work3 Test_dislexia

Teste de Dislexia

Conjunto de testes para a Avaliação Neuropsicológica Online. Instrumento de ajuda ao diagnóstico da Dislexia (CAB-DX)

  • Teste de avaliação neuropsicológica da dislexia

  • Explora exaustivamente as funções do cérebro associadas à dislexia

  • Identifica e avalia a presença de alterações ou distúrbios cognitivos

loading

O conjunto de Testes Computorizados para a Avaliação Cognitiva da Dislexia ou Cognitive Assesment Battery for Dyslexia (CAB-DX) da CogniFit, foi desenhada para ajudar os profissionais de saúde no exercício da detecção, diagnóstico e intervenção da dislexia. Este teste de dislexia online [1] é um instrumento que permite um rastreio cognitivo completo do paciente. Algoritmos sofisticados avaliam o utilizador e apresentam um relatório automatizado.Este relatório inclui os resultados obtidos a partir de cada sujeito em relação ao nível de deterioração das capacidades cognitivas que se podem encontrados afectadas na dislexia.

A avaliação cognitiva para a dislexia da CogniFit consiste em vários blocos de tarefas. Cada tarefa avalia diferentes habilidades cognitivas afetadas pela dislexia.

  • Área da memória : memória do trabalho, memória a curto prazo, denominação e memória visual de curto prazo.l
  • Área da atenção : atenção dividida e concentração.
  • Área da percepção rastreio visual
  • Área da coordenação : tempo de resposta
  • Área do raciocínio : planificação e velocidade de processamento.

Conjunto de tarefas, provas e testes de avaliação cognitiva das pessoas com dislexia

  • Duração: A realização destes testes não durará mais de 15 a 20 minutos
  • Resultados da Avaliação Automatizados.
  • Usuários aos que se dirige: Crianças (apartir dos 6 anos) e adultos

Áreas neuropsicológicos analisadas e a sua relação com a Dislexia

Documentação Científica: Testes validados

Este instrumento desenvolveu-se tendo em conta as últimas pesquisas neste campo, obtendo propriedades psicométricas muito satisfatórias.

A validade de construto de cada tarefa para a degradação cognitiva no distúrbio de aprendizagem da dislexia é demonstrada na literatura científica. As tarefas também foram cientificamente validados para uso em amostras clínicas e controlos saudáveis. Mantêm uma excelente fiabilidade através de repetidas provas e desenhos de investigação transversal como o coeficiente de Alpha de Cronbach, dando valores que oscilam em torno a 0,9. Além disso, foi demonstrado que a CogniFit melhora os resultados após 24 sessões de treino. [2]

Dependendo da patologia, a pessoa vai ser afectada em um ou mais dos diferentes processos cognitivos dos que temos vindo a falar. No caso de dislexia, as habilidades cognitivas que podem ser afectadas serão avaliadas apartir das seguintes áreas:

MEMÓRIA A memória, tem sido associada à dislexia em numerosas investigações. Está formada por sua vez por um grande número de áreas, embora existam algumas que são mais afectadas no distúrbio de aprendizagem da dislexia.

Memória do Trabalho ou do Trabalho e Dislexia

A memória de trabalho está intimamente ligada à dislexia uma vez que há uma relação significativa entre a memória do trabalho e da aprendizagem [3]. Necessitamos a memória do trabalho para construir os conceitos académicos, entender um texto quando se lê pela primeira vez, responder a perguntas de forma rápida e fluida ou seguir as instruções para chegar a um lugar ou realizar uma tarefa. [4]

Memória a Curto Prazo e Dislexia

A memória de curto prazo é essencial para o dia-a-dia. Pessoas com dificuldades de leitura e escrita, como no caso da dislexia, desempenham problemas de memória a curto prazo. Durante a tarefa de leitura ou escrita, dedicam toda a energia na decodificação de palavras e não destinam recursos mentais para outras tarefas, como a concentração, tão necessária para lembrar os estímulos durante um curto período de tempo. [5]

Denominação e Dislexia

A capacidade de denominar, é uma habilidade básica nas nossas mentes. Quando vemos um objecto, vamos explorar a nossa memória para encontrar o significado deste. Este processo é realizado através de uma acção imediata. No entanto, devemos ter um armazenamento robusto para lembrar e recuperar essa informação necessária em cada momento, integrar novas palavras sem dificuldade, usar adequadamente o tempo verbal e saber como dar coerência ao que queremos transmitir. Na dislexia, existe a dificuldade em recuperar uma palavra do nosso repertório, porque há um défice em cada uma das competências necessárias para realizar esta atividade. [6]

Memória Visual e Dislexia

A memória visual é preditiva de aprender da leitura. O reconhecimento visual-ortográfico implica a habilidade do sujeito para armazenar configurações de letras, sílabas e palavras. Também tem sido demonstrado que a memória visual armazena a relação visual entre leitura veloz, métodos de estudo e concentração. Estas sao as capacidades onde mais dificuldades têm as pessoas com dislexia e, portanto, mais necessidade de treino para esta área. [7]

ATENÇÃO Existem várias funções na atenção que podem implicar a atividade de diferentes regiões cerebrais especializadas para este fim e organizadas num sistema, mas apenas algumas são afectadas no distúrbio de aprendizagem da dislexia.

Atenção Dividida e Dislexia

Há uma clara associação entre dificuldades de aprendizagem e problemas de atenção. No caso da dislexia, mostra-se que o défice de atenção está associado com problemas de concentração. Quando se lê ou escreve, é preciso atender a dois canais simultaneamente, procurar as palavras que queremos escrever ou executar a ação de ler e fazer uma melhor escritura das palavras e compreender as palavras que lemos num texto. Ambas as ações exigem uma dupla atenção, uma atenção dividida. Mas na dislexia para conseguir uma atenção bem sucedida em ambos os canais, esta deve ser maior, e com maior esforço. Para isso é necessário treinar a execção das tarefas em paralelo e planificar os passos seguintes. [8]

Focagem e Dislexia

O foco ou concentração é extremamente importante no processo de aprendizagem, especialmente quando se trata de adquirir novos conhecimentos. Características comuns das pessoas com dislexia são a desordem ou distração, principalmente por causa da falta de foco ou concentração nas suas ações ou atividades. [4]

PERCEPÇÃO Este habilidade de índice cognitivo, que faz recordar as palavras como um todo, tem por sua vez outras áreas que podem estar envolvidas na dislexia.

Rastreio Visual e Dislexia

A capacidade de detectar o que estou à procura perante uma grande quantidade de estímulos irrelevantes, precisa do apoio da seleção visual. Para aprender a ler é necessário fazer um rastreio prévio das palavras para poder processar a informação do texto. Em casos com dislexia, é precisamente a primeira tarefa, a da seleção da leitura, onde têm mais dificuldades. [9]

COORDENAÇÃO De acordo com as estatísticas, às vezes encontramos pessoas com dislexia que têm problemas com a coordenação motora, tais como; dificuldades de coordenação motora fina, o que faz com que tenham má caligrafia, problemas de lateralidade ou incapacidade de realizar certos movimentos. Este é um exemplo de coordenação, mas por sua vez, existem algumas outras capacidades relacionadas com a coordenação que estão envolvidas na dislexia.

Tempo de resposta e Dislexia

Como discutido em outras secções, os disléxicos têm dificuldade em processar a informação e responder a perante a mesma, com o qual, o tempo de resposta, nestes casos, será mais longo uma vez que exigem mais tempo de processamento e de descodificação. Quanto mais cedo um estímulo é processado, antes se realizará a resposta necessária. [10]

RACIOCÍNIO O raciocínio é conhecido como a capacidade humana para relacionar ideias ou conceitos e apartir daí, criar uma conclusão baseada numa explicação. Na dislexia, o raciocínio que emprega um disléxico para obter uma conclusão não é prejudicada, mas sim que utiliza outras formas menos comuns para chegar a uma conclusão. Em outras palavras, o caminho para alcançar um objetivo, como escrever uma frase ou ler um texto, é diferente de como uma pessoa sem esta patologia o faria.

Planificação e Dislexia

Para realizar as tarefas, é imprescindível uma prévia planificação do que quer fazer apartir dos objectivos fixados. O mero feito de pensar no futuro, implica automáticamente áreas cerebrais que ajudam a alcançar uma actividade com êxíto. A ordem, a concentração e a memória são habilidades essenciais para realizar uma boa planificação. Na dislexia, há problemas na concentração, na memória, e abstêm-se de manter uma ordem, portanto, é pouco provável que tenha a capacidade de antecipar o futuro e planificar uma acção. [11]

Velocidade de Processamento e Dislexia

Problemas como a velocidade em denominar objectos, ou receber e descodificar informações, exigem uma cognição adequada, chamada de velocidade de processamento. Um processamento cognitivo lento, está relacionado com o mau desempenho escolar e também com a dislexia. A leitura e escrita pobres, como no caso da dislexia, estão fundamentadas num problema de velocidade de processamento. [4] [5]

Documentação científica

As tarefas realizadas pela CogniFit são realizadas perante estímulos visuais e auditivos para garantir que a avaliação é o mais simples e adaptada possível para o usuário . Além disso, dentro da plataforma da CogniFit, também existe uma ferramenta de reabilitação cognitiva para a dislexia.

As ferramentas da CogniFit compreendem um número de tarefas individuais, cada uma desenhada para avaliar a capacidade cognitiva específica. O conjunto de tarefas faz parte de um conjunto de testes que tornam a criação de uma avaliação mais completa do nível cognitivo da pessoa. Existe uma disposição por parte da equipa da CogniFit para oferecer conselhos e para recomendar a avaliação mais adequada para cada pessoa.

Demonstrou-se que a criação de um programa eficaz de avaliação cerebral para cada utilizador, requer a individualidade e a personalização para cada um deles. O sistema de avaliação para a dislexia, garante uma grande eficiência, mediante a supervisão dos resultados do usuário e ajustar as tarefas em tempo real .

Este processo de avaliação tem várias vantagens . Está baseado num modelo cognitivo de avaliação que investiga a presença de sintomas presentes na dislexia. A presença de sintomas é um argumento mais do que sólido para criar um diagnóstico relacionado com dislexia, independentemente do tipo de dislexia. É um método baseado em evidências científicas e validado entre população saudável e doente. A avaliação cognitiva para a dislexia receberá uma pontuação sobre o grau de déficites nas diferentes áreas avaliadas e isso vai levar-nos a um seguimento do nível cognitivo do paciente. O objetivo final desta avaliação é fornecer aos profissionais a melhor informação quantitativa apresentada em gráficos para permitir que apartir da sua experiência, obtenham uma conclusão dos resultados e, portanto, um diagnóstico.

Referências

[1] Peretz C, AD Korczyn, E Shatil, V Aharonson, Birnboim S, N. Giladi - Basado en un Programa Informático, Entrenamiento Cognitivo Personalizado versus Juegos de Ordenador Clásicos: Un Estudio Aleatorizado, Doble Ciego, Prospectivo de la Estimulación Cognitiva - Neuroepidemiología 2011; 36:91-9.

[2] Horowitz-T Kraus, Breznitz Z. - ¿Puede el mecanismo de detección de errores beneficiarse del entrenamiento de la memoria de trabajo? Una comparación entre los disléxicos y los sujetos de control - un estudio de ERP - PLoS ONE 2009; 4:7141.

[3] Evelyn Shatil, Jaroslava Mikulecká, Francesco Bellotti, Vladimír Burěs - Novel Television-Based Cognitive Training Improves Working Memory and Executive Function - PLoS ONE July 03, 2014. 10.1371/journal.pone.0101472

[4] Conners, C. K. (1989). Manual for Conners’ rating scales. North Tonawanda, NY: Multi-Health Systems.

[5] Wechsler, D. (1945). A standardized memory scale for clinical use. The Journal of Psychology: Interdisciplinary and Applied, 19(1), 87-95

[6] Korkman, M., Kirk, U., & Kemp, S (1998). NEPSY: A developmental neuropsychological assessment. Psychological Corporation. Korkman, M., Kirk, U., & Kemp, S (1998). Manual for the NEPSY. San Antonio, TX: Psychological corporation.

[7] Tombaugh, T. N. (1996). Test of memory malingering: TOMM. North Tonawanda, NY: Multi-Health Systems.

[8] Stroop, J. R (1935). Studies of interference in serial verbal reactions. Journal of experimental psychology, 18(6), 643.

[9] Hooper, E. H. (1983). Hooper visual organization test (VOT).

[10] Greenberg, L. M., Kindschi, C. L., & Corman, C. L. (1996). TOVA test of variables of attention: clinical guide. St. Paul, MN: TOVA Research Foundation.

[11] Shallice, T (1982). Specific impairments of planning. Philosophical Transactions of the Royal Society B: Biological Sciences, 298(1089), 199-209.

Por favor, escreva o seu endereço de e-mail