Sobre Cookies nesta página web

Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência online. Ao continuar a utilizar este site sem mudar as suas preferências de cookies, assumiremos que aceita o nosso uso das cookies. Para conseguir mais informação ou mudar as suas preferências de cookies, veja a nossa política de cookies.

Aceitar
Escolha sua plataforma e compre
Tente um mês grátis de carga com 10 licenças.
Para que vai servir a conta?
Bem-vindo à CogniFit! Bem-vindo à CogniFit para pesquisadores!

Registe o seu e-mail a seguir para começar a cuidar do seu cérebro.

Vai criar uma conta de gestão de pacientes. Esta conta destina-se a ajudar os profissionais de saúde (médicos, psicólogos...) a diagnosticar e intervir em distúrbios cognitivos.

Vai criar uma conta de pesquisa. Esta conta foi especialmente elaborada para auxiliar pesquisadores nos seus estudos nas áreas cognitivas.

Vai criar uma conta de gestão de alunos. Esta conta foi pensada para ajudar a diagnosticar e intervir em distúrbios cognitivos em crianças e jovens estudantes.

Vai criar uma conta familiar. Esta conta foi pensada para dar acesso a avaliações e treino CogniFit para os seus familiares.

Vai criar uma conta pessoal. Esse tipo de conta foi desenhado para ajudá-lo a testar e treinar as suas habilidades cognitivas.

Vai criar uma conta de gestão de pacientes. Esta conta destina-se a ajudar os profissionais de saúde (médicos, psicólogos...) a diagnosticar e intervir em distúrbios cognitivos.

Vai criar uma conta familiar. Esta conta foi pensada para dar acesso a avaliações e treino CogniFit para os seus familiares.

Vai criar uma conta de pesquisa. Esta conta foi especialmente elaborada para auxiliar pesquisadores nos seus estudos nas áreas cognitivas.

Vai criar uma conta de gestão de alunos. Esta conta foi pensada para ajudar a diagnosticar e intervir em distúrbios cognitivos em crianças e jovens estudantes.

loading

Para o seu próprio uso (a partir dos 16 anos). As crianças menores de 16 anos podem usar a plataforma CogniFit para Famílias.

Ao se registrar e usar CogniFit, você aceita que leu, entendeu e que está de acordo com as de Uso e a de Privacidade de CogniFit.

corporativelanding_PartesCerebro_social_picture
Esta página é apenas informativa. Não vendemos nenhum producto que trate doenças. Os produtos da CogniFit para o tratamento de doenças estão actualmente em validação. Se estiver interessado, visite Plataforma de pesquisa CogniFit
  • Aceda a exercícios clínicos de avaliação cerebral

  • Estimula múltiplas áreas cerebrais

  • Ajuda a fortalecer as estructuras cerebrais implicadas nas principais habilidades cognitivas, experimente já!

Começar Agora
loading

De que partes se compõe o nosso cérebro? O cérebro humano é um dos órgãos mais complexos do nosso corpo. Compõe-se de diferentes parte ou estructuras que realizam funções diferentes. O cérebro e as suas partes trabalham de forma coordenada e unitária. Para que isto aconteça, as diferentes partes do cérebro usam as milhares de ligações que estabelecem entre elas e com o resto do corpo. Em seguida mostrar-lhe-emos uma descrição da estructura do cérebro, as suas diferentes partes do cérebro humano e funções.

Estructura do cérebro

O cérerbro humano forma parte do Sistema Nervoso Central (SNC). No SNC distinguimos 2 partes: o encéfalo e a medula espinal.

  • O encéfalo é a parte central do SNC que está fechada e protegida dentro do crâneo. O cérebro é apenas uma parte de todo o encéfalo (embora se possa dizer que é a parte mais representativa).
  • A medula espinal é um longo cordão esbranquiçado localizado no canal vertebral e que actua como uma espécie de auto-estrada encarregue de transmitir toda a informação entre o cérebro e o resto do corpo.

Portanto, o cérebro e o encéfalo não são o mesmo. Para poder diferenciar bem o que é o encéfalo e o cérebro, devemos conhecer a divisão do desenvolvimento embrionário do SNC. Em termos gerais, durante o seu desenvolvimento, o cérebro humano está dividido em três "cérebros" diferenciados de acordo com o seu nível de desenvolvimento filogenético: Rombencéfalo ("Cérebro caudal ou posterior"), Mesencéfalo ("Cérebro medio"). ") e Proscencéfalo ("Cérebro anterior ").

O ROMBENCÉFALO, OU CÉREBRO POSTERIOR: É a estructura mais antigua e menos evolucionada, presente em todas as espécies vertebradas. A estructura e a organização do cérebro posterior é mais simples. Está encarregue de regular as funções básicas para a sobrevivência e o controlo do movimento. As lesões nestas estructuras podem conduzir à morte ou incapacidades graves. Está situado na parte superior da medula espinal e está formado por várias estructuras:

  • Mielencéfalo : Esta estrutura irá evoluir na medula oblonga. Ajuda a controlar as funções automáticas, como a respiração, a pressão arterial, o ritmo cardíaco, a digestão ... etc.
  • Metencéfalo : Esta estrutura envolverá duas partes diferentes: a ponte do tronco cerebral (também conhecida como ponte Varolium, protuberância anular ou cervical). e o cerebelo. Por outro lado, a a ponte do tronco cerebral é a porção do tronco encefálico localizada entre a medula oblonga e o mesencéfalo. A sua função é conectar a medula espinhal e a medula com as estruturas superiores dos hemisférios do córtex cerebral e / ou do cerebelo. Está envolvida no controlo de funções automáticas do corpo e tem um papel importante nos níveis de excitação (alerta) e consciência, e na regulação do sono. Em contraste, o cerebelo está localizado abaixo dos hemisférios cerebrais, sendo a segunda maior estrutura do cérebro. O cerebelo integra toda a informação que vem das vias sensoriais e motoras do cérebro, então a sua principal função é o controlo do movimento. Também ajuda a controlar a postura e o equilíbrio, bem como permite que as pessoas aprendam a mover-se, andar, andar de bicicleta ... Além disso, também está envolvido em algumas atividades cognitivas relacionadas à linguagem, habilidades visoespaciais, memória, funções executivas, atenção ou mesmo emoções. Danos nesta estrutura podem causar problemas de movimento, coordenação e controlo postural, mas também causam disfunções nos processos cognitivos superiores com os quais está conectada.

O MESENCÉFALO OU CÉREBRO MÉDIO: É a estructura que une o cérebro posterior com o anterior e conduz os impulsos motores e sensitivos entre eles. O seu correcto funcionamento é um pré-requisito para a experiência consciente. As lesões nesta área do cérebro podem ser responsáveis, entre outras coisas, de alguns transtornos do movimento como os tremores, rigidez, movimentos estranhos...

O PROSENCÉFALO OU CÉREBRO ANTERIOR: Trata-se da estructura do encéfalo mais desenvolvida, evolucionada e a que tem uma organização e complexidade mais elevada. Consta de duas partes principais:

  • Diencéfalo: Está oculto pelos hemisférios cerebrais, pelo que se situa "dentro" do cérebro. Está formado pelas estructuras mais importantes como o Tálamo e Hipotálamo.
  • Tálamo: É como uma estação de retransmissão do cérebro: transmite a maioria dos sinais sensoriais percebidas (auditivas, visuais e do tacto) e permite que se processem em outras partes do cérebro. Também está implicado no controlo motor.
  • Hipotálamo: É a glândula situada na zona central da base do cérebro. Tem um papel muito importante na regulação das emoções e de outras funções corporais como o apetite, a sede e o sono.
  • Telencéfalo ou o “cerebrum”: Conhecido informalmente como o ""cérebro"". Envolve todo o côrtéx cerebral (fina capa de tecido cinzento, arrugado em estrias e dobras), o hipocampo e os gânglios basais... Durante o desenvolvimento embriológico, pode-se diferenciar entre "Neo-estriado", "Paleo-estriado" e "Arqui-estriado".

Estructura do Cérebro

Anatomia cerebral e as suas funções

No entanto, no cérebro ou "cerebrum" (correspondente ao telencéfalo) podemos diferenciar diferentes áreas. As diferentes partes do cérebro e as suas principais funções são:

OS GÂNGLIOS BASAIS: São umas estructuras neuronais subcorticais, ou seja, que estão escondidas pelo côrtéx cerebral (ou hemisfério do cérebro). A sua principal função consiste em iniciar e integrar o movimento. Recebem informação do côrtéx cerebral e do tronco do encéfalo, processam-a e projectam de novo ao côrtéx, à medula e ao tronco encefálico para permitir a coordenação do movimento. Está formado de várias estructuras:

  • Núcleo caudado, é um núcleo em forma de "C" que está implicado no controlo do movimento voluntário, mas também está involucrado em processos de aprendizagem e memória.
  • Globo pálido
  • Amígdala, que desempenha um papel importante nas emoções, sobretudo o medo. A amígdala ajuda a armazenar e classificar as recordações carregadas de emoções.

O HIPOCAMPO: É uma pequena estructura sub-cortical com forma de cavalo-marinho que tem um papel importantíssimo na formação da memória, tanto na classificação da informação como na memória a longo prazo.

O CÔRTÉX CEREBRAL: É uma fina capa de tecido cinzento (núcleos neuronais). Ao olho humano, podem ver-se uma grande quantidade de círculos, protuberâncias e circunvalações, o que lhe dá um aspecto característico. Esta estranha disposição permite aumentar a área do côrtéx cerebral disponível dentro do nosso crâneo. As circunvalações estão delimitadas pelas estrias ou sulcos cerebrais. Além disso, os sulcos que são especialmente profundos, denominam-se como fissuras. O côrtéx divide-se em dois hemísferios, direito e esquerdo, separados pela fissura inter-hemísferica (ou longitudinal) e unidos por uma estructura chamada corpo caloso que permite a transmissão da informação entre ambos. Em termos gerais, podemos dizer que cada hemisfério controla um lado do corpo, mas os controlos estão invertidos: o hemísferio esquerdo controla o lado direito do corpo e o hemísferio direito controla o lado esquerdo. A este fenómeno chama-se lateralização do cérebro.

CADA HEMISFÉRIO ESTÁ DIVIDIDO EM 4 LÓBULOS . Estes lóbulos estão delimitados por quatro sulcos cerebrais: sulco central ou Rolando, sulco lateral ou Silvio, sulco parietooccipital e o sulco cingular. As áreas do córtex cerebral restantes entre essas fissuras são o que conhecemos como lóbulos:

  • Lóbulo Frontal: é o maior lóbulo cerebral do córtex cerebral. Está localizado logo atrás da testa. Estende-se desde a parte mais anterior até à fissura de Rolando. É o centro de comando e controlo do cérebro humano: "o grande maestro". Está envolvido na planificação, no raciocínio, na resolução de problemas, no julgamento, no controlo de impulsos e também na regulação de emoções, como a empatia, a generosidade e o comportamento.
  • Lóbulo temporal: Separado dos lóbulos frontal e parietal pelos limites da fissura de Sylvian e do lobo occipital. Está localizado nos lados direito e esquerdo do cérebro. Envolvido no processamento auditivo e de linguagem. Também está envolvido em funções de memória e gestão de emoções.
  • Lóbulo parietal: Ocupa a área entre o sulco da fissura e a parte superior da fissura parieto-occipital. Ele é responsável pela integração de informações sensoriais. Contribui para o processamento da dor e do toque, entre outras funções importantes.
  • Lóbulo occipital: É delimitado pelas extremidades posteriores dos lóbulos parietal e temporal (na parte posterior do cérebro). Lida principalmente com a visão, processando e interpretando tudo o que vemos. Analisa aspectos como a forma, cor e movimento para interpretar e tirar conclusões de imagens visuais.
  • Alguns autores falam de um quinto lóbulo, o lóbulo límbico: O sistema límbico é composto por várias estruturas do cérebro anterior, incluindo a amígdala, o tálamo, hipotálamo, hipocampo, córtex cingulado e o corpo caloso, entre outros. O sistema límbico administra respostas fisiológicas a estímulos emocionais. Está relacionado com a memória, atenção, emoções, instintos sexuais, personalidade e comportamento.

Referências

Squire, L.R. (1992) Memory and the hippocampus: a synthesis from findings with rats, monkeys and humans. Psychol Rev, 99, pp.195-231.

Miller, E. K. (2000). The prefrontal cortex and cognitive control. Nat Rev Neurosci, 1 (1), 59-65.

Miller, E. K. y Cohen, J. D. (2001). An integrative theory of prefrontal cortex function. Annu Rev Neurosci, 24, 167-202.

Kosslyn, S.M. (1994) Image and brain: thre resolution of the imaginery debate. Cambridge, Mass; MIT Press.

Por favor, escreva o seu endereço de e-mail