Escolha sua plataforma e compre
Tente um mês grátis de carga com 10 licenças.
Para que vai servir a conta?
Cadastre-se
loading

Ao se registrar e usar CogniFit, você aceita que leu, entendeu e que está de acordo com as de Uso e a de Privacidade de CogniFit.

corporativelanding_Patente_social_picture

Patente CogniFit

Método para a análise e treinamento da capacidade cognitiva

  • corporativelanding_Patente_Form1

  • corporativelanding_Patente_Form2

  • corporativelanding_Patente_Form3

loading

Resumo

CogniFit é um método para avaliar e treinar a capacidade cognitiva. Incluí uma prova preliminar para obter o nível cognitivo do usuário na que vai se obter um informe dos resultados da mesma. De acordo com os resultados, o nível cognitivo poderá ser dividido em habilidades cognitivas discretas separadas e estas serão avaliadas per diferentes tarefas na avaliação preliminar. O programa CogniFit criará com base nos resultados, um treinamento personalizado em que se treinará uma tarefa junto com dois exercícios relacionados com as habilidades cognitivas discretas separadas. Estes treinamentos, que poderão ser repetidos as vezes necessárias, serão apresentados ao usuário para que o progresso do nível cognitivo atual deste se veja refletido no seu perfil.

  • Fundador: Shlomo Breznitz, Haifa (IL)
  • Cessionário: CogniFit LTD (Naiot), Nazrat Ilit
  • Aviso: Sujeito a qualquer reclamação. A atual patente se estende e se ajusta sob a lei 35 U.S.C (b) por 0 dias.
  • Appl: 09/611,974
  • Campo de pesquisa: Julio. 6, 2000
  • Campo da patente: Esta patente, está composta, em geral, por métodos e aparelhos para provar, manter e melhorar a capacidade cognitiva dos usuários.

Recapitulação da Patente

Existe por tanto, um método para analisar e treinar as habilidades cognitivas. Também, é proporcionado um método para diagnosticar a capacidade cognitiva do usuário. O método pode incluir a apresentação de um estímulo, a recepção de uma entrada de movimento (de maneira geral, uma resposta ao estímulo) e a análise dos aspectos cognitivos deste input.

A etapa da apresentação pode ser seleccionada desde um grupo que apresente estímulos de movimento, da apresentação de um estímulo que altere a cor, um estímulo que mude de forma, a apresentação de um ou mais estímulos e a apresentação de estímulos dirigidos a diferentes sentidos.

A entrada de movimento pode ser seleccionada desde um grupo que consiste em mover o estímulo, posicionar o estímulo, mover um dispositivo periférico para interceptar o estímulo, operar um controlo com estados discretos e ajustar o estímulo.

O estímulo pode ser seleccionado desde um grupo que consta de um ou vários estímulos abstractos, um ou vários estímulos mais significativos e uma combinação de um ou mais estímulos abstractos com um ou mais significados.

    Metodologia para diagnosticar e treinar as habilidades cognitivas do usuário
  • 1) A apresentação dos estímulos pertinentes às situações da vida quotidiana
  • 2) É recebida informação de resposta ao estímulo.
  • 3) São analisados os aspectos cognitivos do diagnóstico.
  • 4) Extrapolam-se os aspectos analisados nas habilidades cognitivas.
  • 5) Ajusta-se o estímulo de acordo com os aspectos analisados.
  • 6) Seleccionam-se uma ou mais tarefas.
  • 7) Executam-se as tarefas e repete-se o processo.

    Implementação da metodologia de avaliação e treino computorizado contínuo.

A: Realiza-se uma prova de nível preliminar cognitivo ao usuário: avaliação inicial.

  • É seleccionado um grupo de diferentes habilidades cognitivas: Habilidades motoras, habilidades complexas-contínuas, tempo necessário para deslocar o estímulo, suavidade do movimento, coordenação olho-mão, coordenação olho-pé, psicomotricidade e habilidades de atenção, habilidades de memória, habilidades linguísitcas, tomada de decisões, habilidades de resolução de problemas, habilidades psicomotoras e habilidades meta-cognitivas.
  • Selecciona-se um grupo de estímulos e posicionam-se no espaço:
    • Mover o estímulo de sítio.
    • Colocá-lo noutro ponto
    • Mover um dispositivo periférico a um estímulo de intercepção enquanto é operado um controlo de estados discretos.
    • Ajustar o estímulo
  • Selecciona-se um grupo de estímulos e modifica-se a sua composição e movimento
    • Um estímulo em movimento.
    • Um estímulo que muda de cor.
    • Um estímulo que muda de forma.
    • Um ou mais estímulos.
    • Finalmente apresentam-se os estímulos que se movem em diferentes sentidos.
  • Selecciona-se um grupo de estímulos de vários tipos:
    • Seleccionar um ou mais estímulos abstractos.
    • Seleccionar um ou mais estímulos significativos.
    • Combinação dos anteriores.
  • Utiliza-se um interface num dispositivo (PC, telemóvel ou tablet) de saída que proporciona e captura os estímulos da avaliação.
  • O sistema consta de um dispositivo de entrada de movimento e de um dispositivo de saída que proporciona um estímulo. Existe um analista que trata os dados do dispositivo de entrada.

B) Análise de dados baseados nos resultados da avaliação preliminar.

  • Ao finalizar esta prova, analisam-se os resultados e separam-se as habilidades cognitivas por pontuação.
  • Analisam-se os dados que constam de: habilidades motoras complexas ou contínuas, do tempo necessário para mover o estímulo, a suavidade do movimento, coordenação mão-olho, coordenação mão-mão e coordenação olho-pé.
  • Cria-se uma base de dados onde todos os resultados das análises serão armazenados.
  • Cria-se um dispositivo de entrada de movimento e um dispositivo de saída que proporciona um estímulo.
  • Existe um analista que trata os dados do dispositivo de entrada e o diagnóstico dos níveis cognitivos e ainda uma unidade de cálculo que atribuir tarefas ao usuário. Com estas tarefas pretende-se treinar os níveis cognitivos do usuário.
  • Apartir das habilidades cognitivas é determinado o nível cognitivo do usuário.

C) Treino personalizado baseado nos resultados da avaliação.

  • De acordo com os resultados, são criadas uma ou mais tarefas relacionadas com cada uma das habilidades cognitivas.
  • Cria-se uma primeira tarefa que forma uma primeira habilidade cognitiva e utiliza os resultados da primeira tarefa para controlar uma ou mais tarefas.
  • Utiliza-se um interface num dispositivo (PC, telemóvel ou tablet) de saída que proporciona e captura os estímulos do treino.
  • Existe um analista que trata os dados do dispositivo de entrada e o diagnóstico dos níveis cognitivos e também uma unidade de cálculo que atribui tarefas ao usuário. Com estas tarefas pretende-se treinar os níveis cognitivos do usuário.
  • Depois apresentam-se as tarefas ao usuário e volta-se a analisar o nível cognitivo que tem depois da realização das tarefas, através dos resultados.
  • Personalizam-se os treinos de acordo com os resultados desta etapa, com a finalidade de desafiar a maneira óptima do nível cognitivo do usuário. Além disso, será possível controlar a selecção de um estímulo com a finalidade de tentar evitar a frustração e o aborrecimento dos usuários.
  • Método utilizado para o tratamento da demência, doença de Alzheimer, doença de Parkinson, hiperactividade, transtorno do deficit de atenção, discapacidades de aprendizagem, reabilitação cognitiva depois de um ataque, lesão cerebral, álcool, abuso de drogas, melhorar ou adiar o declive da memória a curto prazo, habilidades perceptivas e outras habilidades cognitivas e psicomotoras em pessoas de todas as idades.
  • O método é aplicado uma ou mais vezes à semana.
  • É registado o número e o tipo de respostas erradas e regista-se a velocidade de reacção para distinguir os erros falsos positivos e falsos negativos.

Por favor, escreva o seu endereço de e-mail