Escolha sua plataforma e compre
Tente um mês grátis de carga com 10 licenças.
Para que vai servir a conta?
Cadastre-se

Para o seu próprio uso (apartir dos 13 anos)

loading

Ao se registrar e usar CogniFit, você aceita que leu, entendeu e que está de acordo com as de Uso e a de Privacidade de CogniFit.

corporativelanding_Memoria-visual-a-corto-plazo_social_picture
  • Aceda a um completo conjunto de provas cognitivas para avaliar a memória visual a curto prazo

  • Identifica e avalia a presença de alterações ou défices

  • Instrumentos validados para melhorar ou reabilitar a memória visual a curto prazo e outras habilidades cognitivas

loading

O que é a memória visual a curto prazo?

A memória visual a curto prazo (MVCP) define-se como a capacidade para reter uma pequena quantidade de informação visual (letras, figuras, cores,...) durante um período de tempo curto. Este tipo de memória forma parte da memória a curto prazo (MCP). A informação retida pela memória visual a curto prazo pode ser elaborada pelamemória de trabalho, pode passar a formar parte damemória a longo prazo, ou simplesmente ser esquecida.

Exemplos de memória visual a curto prazo

  • A memória visual a curto prazo permite ser possível que possamos ler um livro ou uns apontamentos. Permite-nos reter a informação verbal que percebemos através da vista (as palavras lidas) do início de uma frase para compreendê-la na sua totalidade. Sem esta habilidade cognitiva, seria quase impossível ler, com as consequências que isso teria nos resultados académicos.
  • Quando estamos a conduzir, a memória visual a curto prazo permite-nos reter os textos das placas e sinais de trânsito, ou saber onde estão os carros à nossa volta depois de olhar pelo retrovisor. Portanto, a MVCP é importante para uma boa condução.
  • Na maioria dos trabalhos também aplicamos constantemente a memória visual a curto prazo. Se, por exemplo, temos que ler ou redactar um relatório, será necessário que memorize-mos as palavras para dar um sentido ao texto. Quanto maior seja a componente visual do trabalho (arquitecto, desenhador, pintor,...), mais uso se dará a esta capacidade.
  • Se nos cruzamos com uma pessoa, a nossa memória visual a curto prazo vai reter a sua cara. Não é anormal que demore-mos uns segundos em reconhecer a cara de uma pessoa que não vemos à algum tempo. Se nos lembramos quem é em alguns segundos, isto acontece devido a que a sua MVCP reteve a cara o tempo suficiente como para aceder à memória a longo prazo e reconhecê-lo.

Patologias e transtornos associados com a memória visual a curto prazo

Um dano na memória visual a curto prazo pode reduzir o tempo e a quantidade de elementos que pode reter. Devido a que os diferentes tipos de memória são independentes, um dano específico da MVCP não teria porque afectar directamente o resto. De maneira geral, todos os tipos de memória trabalham de maneira conjunta e seria muito díficl decifrar em que ponto começa um e acaba o outro. Por outro lado, quando um deles se danifica, o nosso cérebro não pode realizar a sua função, com consequências fatais no nosso dia-a-dia.

A memória visual a curto prazo pode ser danificada de diversas formas. Em fases moderadas da doença de Alzheimer pode haver um deterioração da MVCP. A alteração da MVCP também pode ter um papel importante na dislexia, pois a dificuldade para reter informação verbal escrita pode atrasar a aprendizagem da leitura. Além disso, detectaram-se problemas na memória visual a curto prazo derivado do consumo de marijuana. O dano cerebral derivado de um ictos ou de um traumatismo crâneo-encefálico também poderia alterar a memória visual a curto prazo.

Como medir e avaliar a memória visual a curto prazo?

A memória visual a curto prazo actua diariamente numa grande variedade de situações quotidianas. A MVCP, portanto, permite-nos realizar qualquer processamento daquilo que vemos uma vez e que não está perante os nossos olhos. Deste modo, avaliar a nossa memória visual a curto prazo e conhecer o seu estado pode ser de grande ajuda em diferentes âmbitos da vida: em âmbitos académicos (irá permitir-nos saber se uma criança terá dificuldades para aprender a ler ou para compreender explicações complexas nos livros), em âmbitos clínicos (para saber se os pacientes seriam capazes de conduzir sem perigo ou se podem ou não ajudar-se de esquemas ou recursos visuais mais ou menos complexos no seu dia-a-dia) ou em âmbitos laborais (para saber se podem encarregar trabalhos que impliquem muita leitura ou um alto conteúdo visual).

É possível valorar as diferentes funções cognitivas, como a memória visual a curto prazo, de uma maneira fiável e eficaz através de uma avaliação neuropsicológica completa. Os testes que oferece a CogniFit para avaliar a memória a curto prazo estão inspirados nas provas de Dígitos directos e Dígitos indirectos da WMS (Wechsler Memory Scale), no NEPSY, (de Korkman, Kirk e Kemp em 1998), no CPT (Continuous Performance Test), no TOMM (Memory Malingering), no VOT (Hooper Visual Organisation Task), no TOVA (Test of Variables of Attention) e no TOL (Torre de Londres). Além da memória visual a curto prazo, estes testes também medem a memória a curto prazo, o tempo de resposta, a memória operativa ou do trabalho, o rastreio visual, a percepção espacial, a planificação, a memória contextual, a flexibilidade cognitiva, a denominação, o reconhecimento e a velocidade de processamento.

  • Teste de Identificação COM-NAM: Serão apresentados objectos através da imagem e do som. Teremos que dizer em que formato (imagem ou som) apareceu o objecto pela última vez, ou se não apareceu previamente.
  • Teste de Concentração VISMEM-PLAN: Aparecerão estímulos posicionados no ecrã e distribuidos de maneira alternativa . Seguindo uma ordem, os estímulos irão iluminando-se ao mesmo tempo que aparece um som até completar a série. Durante a apresentação, há que prestar atenção tanto aos sons como às imagens iluminadas. No turno do usuário, haverá que recordar a ordem da apresentação dos estímulos no momento oportuno para reproduzí-los na mesma ordem que tenham sido apresentados.
  • Teste de Reconhecimento WOM-REST: Aparecem três objectos comuns no ecrã. Primeiro, haverá que recordar a ordem de apresentação dos três objectos tão rápido como seja possível. Depois, aparecerão quatro séries de três objectos diferentes aos apresentados e haverá que detectar a sequência inicial.
  • Teste de Recuperação VISMEM: Aparecerão imagens no ecrã durante aproximadamente cinco ou seis segundos. Durante este tempo, tem que tentar recordar a maior quantidade de objectos que apareçam na imagem. Esgotado o tempo, a imagem desaparecerá e aparecerão diferentes opções, entre as quais o usuário deve detectar a correcta.

Como reabilitar ou melhorar a memória visual a curto prazo?

Na CogniFit oferecemos a possibilidade de treinar de maneira profissional a memória visual a curto prazo, junto com o resto das habilidades cognitivas.

A reabilitação da memória visual a curto prazo baseia-se na plasticidade cerebral. A CogniFit oferece um conjunto de exercícios clínicos desenhados para reabilitar os problemas na MVCP e outras funções cognitivas. O cérebro e as suas ligações neuronais fortalecem-se ao usar as funções que dependem delas. Portanto, se treinamos com frequência a memória visual a curto prazo, as ligações cerebrais das estructuras implicadas ver-se-ão fortalecidas. Assim, teremos à nossa disposição umas ligações mais rápidas e eficientes quando necessitemos de usar a memória visual a curto prazo, melhorando a nossa capacidade.

A equipa da CogniFit está formada por profissionais especializados no estudo da plasticidade sináptica e processos de neurogénese. Isto permitiu a criação de um programa de estimulação cognitiva personalizado para as necessidades de cada usuário. Este programa teve origem numa avaliação da memória a curto prazo e outras funções cognitivas fundamentais. Em base aos resultados da avaliação, o programa de estimulação cognitiva da CogniFit oferece de forma automática um treino cognitivo personalizado para fortalecer a memória visual a curto prazo e outras funções cognitivas que se consideram necessárias de acordo com a avaliação.

A consistência e um treino adequado são imprescindíveis para melhorar a memória visual a curto prazo. A CogniFit dispõe de ferramentas de avaliação e de reabilitação para optimizar esta função cognitiva. Para uma correcta estimulação são necessários 15 minutos ao dia, duas ou três vezes por semana.

Pode aceder-se ao programa de estimulação cognitiva da CogniFit através internet. Há uma grande variedade de actividades interactivas, em forma de divertidos jogos mentais, que podem realizar-se através do computador. Ao finalizar cada sessão, a CogniFit mostrará um gráfico detalhado com a evolução do estado cognitivo.

Por favor, escreva o seu endereço de e-mail