Escolha sua plataforma e compre
Tente um mês grátis de carga com 10 licenças.
Escolha sua plataforma
Cadastre-se
loading

Ao se registrar e usar CogniFit, você aceita que leu, entendeu e que está de acordo com as de Uso e a de Privacidade de CogniFit.

Uma boa memória é essencial para a sua vida

Uma boa memória é essencial para a sua vida

A memória é a capacidade de registrar, armazenar, reter e recuperar informação. Importantes processos de armazenamentos estão implicados nas estruturas de registro e retenção da nova informação, o produto de suas operações são estruturas conhecidas como rastros de memórias. No entanto, conhecer um novo fato e criar um novo rastro de memória, não garante a recuperação bem sucedida desta lembrança quando faça falta. Por exemplo, ainda que você saiba o nome da rua principal que conduz à sua rua, pode se esquecer no mesmo momento que está indicando a alguém como chegar na sua casa. Isto é porque a manipulação da informação na memória também exige de maneira importante a capacidade de busca e dos processos de recuperação.

CogniFit te oferece um treinamento específico de memória mais além do que os jogos. Incluí uma grande variedade de exercícios de memória cientificamente validados e de eficácia comprovada.

A retenção temporal da informação: Memória a curto prazo e Memória de Trabalho

Você está lendo um livro para se preparar para um exame. Ao mesmo tempo, você está ouvindo rádio. De repente, a transmissão é interrompida para dar o número do ganhador de um sorteio que você participou. O número tem nove dígitos (8-1-4-6-8-3-2-7-3) e é lido com uma voz uniforme, constante. Se você não tem uma caneta à mão, você tem um problema: existem muitos dígitos (ou pedaços) e o número está além da capacidade da memória temporal. Já é reconhecido que a capacidade de um adulto para a retenção temporal esta na média de 5 a 9 dígitos. A retenção temporal também é conhecida como memória a curto prazo.

Você se decide por lembrar o número como se fossem três grandes números inteiros 814, 283 y 273. Esta é a estratégia de fragmentação. Depois que a informação está fragmentada é possível repetir com maior precisão e facilidade. Este tipo de repetição é chamado de ensaio. A fragmentação e o ensaio são as estratégias mais usadas para se lembrar.

Você terá que reter o número por apenas alguns segundos, até que compare com os números do seu bilhete de loteria. Portanto, é provável que codifique ou registre a informação de maneira auditiva ( auditiva a curto prazo). Em outras circunstâncias pode ser necessário para codificar a informação visualmente, por exemplo, se você deseja comparar a forma de um edifício que acaba de ver com uma foto do mesmo edifício em um livro que está lendo ( visual a curto prazo).

A informação retida de maneira temporal ou a informação contida na memória a curto prazo pode ser perdida. Se você não foi capaz de ensaiá-la, a informação decai. A informação também será danificada se houve alguma interferência. Por exemplo, se você também teve que relembrar a informação comparável, como um número de telefone, ou no caso da construção, a forma de outro edifício da mesma rua.

A retenção temporal difere da retenção de longa duração em três aspectos importantes: é de curta duração, não se codifica por seu significado e se decompõe com a interferência.

Um aspecto chave da retenção temporal é a possibilidade de adicionar outro tipo de informação previamente obtida na consciência e de manipulá-la. Por exemplo, se, depois de comparar o número que ensaiava com o número do seu bilhete, descobre que é o único dono de um bilhete premiado, agora você vai trazer na sua consciência todas as ações que devem ser realizadas para receber o prêmio. Este é o sistema da de trabalho. A memória de trabalho é um aspecto fundamental de como tratamos a informação retida temporalmente. Geralmente, usamos a informação retida temporalmente combinada com outros conhecimentos que temos que realizar para uma ação futura. É a memória de trabalho que nos permite planejar o futuro e combinar a informação de modo que seja sempre nova e única. Porque cada um de nós traz informação diferente para a consciência, os resultados dos processos da memória de trabalho são diferentes para diferentes pessoas. São o produto do "pensamento em tempo real", de modo que a memória de trabalho, embora se trate da retenção temporal, é mais como uma forma de ordem superior da inteligência fluída.

A retenção a longo prazo ou permanente da nova informação

Tudo que podemos fazer com precisão e rapidez são armazenados na a longo prazo ou memória permanente. Nosso conhecimento pode ser armazenado como memória episódica, uma forma de memória que conserva uma sequência de eventos na ordem em que ocorreram. A memória episódica tem a aparência de uma história: "Este foi o dia que nós subimos a montanha e ficamos presos por causa de uma tempestade." Alternativamente, o nosso conhecimento pode ser armazenado na memória semântica, a memória para o conhecimento e significado. É o "experto" conhecimento conceitual que desenvolvemos. Por exemplo, um jogador profissional de xadrez pode falar ou escrever sobre os melhores movimentos e estratégias para ganhar uma partida, enquanto que um mecânico de carros pode conversar facilmente sobre os carburadores com melhor desempenho. A experiência sobre a qual descansa a memória semântica consiste em um grande número de conceitos relacionados entre si, a rede semântica. Alguns destes conceitos tem nomes (dama, cavalheiro), mas outros não tem e são ideias abstratas.

Como é lembrada a nova informação? Como é colocada na memória permanente? Alguns processos de retenção são automáticos: analisamos automaticamente a informação que chega, as vezes de maneira audível, as vezes visualmente, e que também atinge a outros sentidos. Este é um procedimento que rotinariamente ocorre à medida que encontramos com uma nova informação, para percebê-la e atendê-la. Estes processos automáticos podem ajudar na percepção e no reconhecimento, assim como na reconstrução dos acontecimentos, mas não costumam ser o suficiente para garantir o sucesso da retenção permanente da nova informação.

Geralmente, a simples exposição de nova informação, ou a memorização, não será suficiente. Os estudos mostram que a nova informação é lembrada melhor se as pessoas buscam ativamente ( e encontram) estratégias para organizar a informação em uma estrutura coerente e significativa. Uma destas estratégias é a mediação que relaciona a nova informação com a armazenada. Por exemplo, para se lembrar da data da Revolução Francesa, Pedro usou o seu conhecimento de sequência de números. Pedro pensou "1 equivale a 1000, e não precisa ser lembrado. Assim que vou lembrar como uma sequência 7,8,9". Outra estratégia são as imagens ou a representação da nova informação de uma maneira visual. Uma ampla investigação apoía o uso da mediação e das imagens para facilitar a retenção a longo prazo da nova informação.

A nova informação é registrada e guardada, deixando diversos tipos específicos de impressões (auditiva, visual, olfativa e de outro tipo). Mas, como a informação é recuperada da memória a longo prazo ou permanente? Por exemplo, como você pode recuperar da memória a lista de compras? Parece que não encontramos a lista na nossa mente e depois a lemos mentalmente, mas são envolvidas nos processos de reconstrução que operam sobre a base e a disponibilidade da informação chave (por exemplo, os ingredientes para o bolo de chocolate e a carne ou o peixe para a janta). Outros processos envolvem o reconhecimento (por exemplo, combinar as letras para formar o seu nome) ou a lembrança (marcar o número de telefone do seu melhor amigo, que você lembrou usando a fragmentação e o ensaio).

É por isso que o cuidado da memória através do treinamento de memória é importante. Não espere perder a memória para buscar jogos de memória. Comece a sua avaliação cognitiva e exercícios de memória hoje mesmo com o objetivo de manter o cérebro em plena forma.

Por favor, escreva o seu endereço de e-mail