Sobre Cookies nesta página web

Este site utiliza cookies para melhorar a sua experiência online. Ao continuar a utilizar este site sem mudar as suas preferências de cookies, assumiremos que aceita o nosso uso das cookies. Para conseguir mais informação ou mudar as suas preferências de cookies, veja a nossa política de cookies.

Escolha sua plataforma e compre
Tente um mês grátis de carga com 10 licenças.
Para que vai servir a conta?
Bem-vindo à CogniFit! Bem-vindo à CogniFit para pesquisadores! CogniFit Healthcare CogniFit Employee Wellbeing

Registe o seu e-mail a seguir para começar a cuidar do seu cérebro.

Você vai criar uma conta de gerenciamento de pacientes. Essa conta foi criada para ajudar os profissionais de saúde (médicos, psicólogos...) no diagnóstico e na estimulação cognitiva.

Vai criar uma conta de pesquisa. Esta conta foi especialmente elaborada para auxiliar pesquisadores nos seus estudos nas áreas cognitivas.

Vai criar uma conta de gestão de alunos. Esta conta foi pensada para ajudar a diagnosticar e intervir em distúrbios cognitivos em crianças e jovens estudantes.

Vai criar uma conta familiar. Esta conta foi pensada para dar acesso a avaliações e treino CogniFit para os seus familiares.

Você vai criar uma conta de gerenciamento da empresa. Esta conta foi criada para dar aos seus funcionários acesso às avaliações e treinamentos da CogniFit.

Vai criar uma conta pessoal. Esse tipo de conta foi desenhado para ajudá-lo a testar e treinar as suas habilidades cognitivas.

Você vai criar uma conta de gerenciamento de pacientes. Essa conta foi criada para ajudar os profissionais de saúde (médicos, psicólogos...) no diagnóstico e na estimulação cognitiva.

Vai criar uma conta familiar. Esta conta foi pensada para dar acesso a avaliações e treino CogniFit para os seus familiares.

Vai criar uma conta de pesquisa. Esta conta foi especialmente elaborada para auxiliar pesquisadores nos seus estudos nas áreas cognitivas.

Vai criar uma conta de gestão de alunos. Esta conta foi pensada para ajudar a diagnosticar e intervir em distúrbios cognitivos em crianças e jovens estudantes.

loading

Para o seu próprio uso (a partir dos 16 anos). As crianças menores de 16 anos podem usar a plataforma CogniFit para Famílias.

Ao se registrar e usar CogniFit, você aceita que leu, entendeu e que está de acordo com as de Uso e a de Privacidade de CogniFit.

Habilidades Cognitivas
Consistência interna
Fiabilidade Teste-reteste
Flexibilidade Cognitiva
0,726
0,842
Atenção Dividida
0,866
0,85
Campo visual
0,806
0,998
Coordenação Olho-mão
0,779
0,876
Denominação
0,687
0,782
Foco
1
0,905
Exploração Visual
0,862
0,922
Estimativa
0,761
0,986
Inibição
0,661
0,697
Memória Fonológica a Curto Prazo
0,915
0,698
Memória Contextual
0,884
0,775
Memória Visual a Curto Prazo
0,866
0,743
Memória a Curto Prazo
0,853
0,721
Memória de Trabalho
0,85
0,696
Memória não verbal
0,787
0,73
Percepção Espacial
0,611
0,907
Percepção Visual
0,751
0,882
Percepção auditiva
0,652
0,904
Planificação
0,765
0,826
Reconhecimento
0,864
0,771
Tempo de Resposta
0,873
0,821
Velocidade de Processamento
0,888
0,764
Avaliação cognitiva para pesquisas sobre Parkinson (CAB-PK)

Análise da fiabilidade da avaliação(Apena em inglês)Download

A Avaliação cognitiva para pesquisas sobre Parkinson (CAB-PK)

Teste on-line inovador para detectar deterioração cognitiva relacionada à doença de Parkinson. Realiza um rastreio cognitivo completo e avalia o índice de risco da presença de doença de Parkinson.

A quem se dirige?

Este producto não está à venda. Este produto é apenas para fins de pesquisa. Para obter mais informações, consulte Plataforma de pesquisa CogniFit

Multi-dispositivo

A Avaliação cognitiva para pesquisas sobre Parkinson (CAB-PK)

Você vai criar uma conta de gerenciamento de pacientes. Essa conta foi criada para ajudar os profissionais de saúde (médicos, psicólogos...) no diagnóstico e na estimulação cognitiva.

Vai criar uma conta de gestão de alunos. Esta conta foi pensada para ajudar a diagnosticar e intervir em distúrbios cognitivos em crianças e jovens estudantes.

Vai criar uma conta de pesquisa. Esta conta foi especialmente elaborada para auxiliar pesquisadores nos seus estudos nas áreas cognitivas.

-
+
Número de avaliações*

* As licenças de avaliação podem usar qualquer tipo de avaliação

 

Teste computadorizado para avaliar e detectar sintomas cognitivos em Parkinson

Teste computadorizado para avaliar e detectar sintomas cognitivos em Parkinson

  • Avalie o índice de risco da presença de Parkinson
  • Para jovens adultos ou idosos
  • A duração aproximada da prova é de 30-40 minutos
  • Análise da fiabilidade da avaliação - Apena em inglês Download

A Avaliação cognitiva para pacientes com Parkinson (CAB-PK) é uma ferramenta profissional líder, composta por testes clínicos e tarefas validadas, com o objetivo de detectar e avaliar rápida e precisa a presença de sintomas, traços e disfunções nos processos cognitivos afetados na doença de Parkinson.

Este inovador teste de Parkinson em linha é um recurso científico que permite um rastreio cognitivo completo, para conhecer as fraquezas e pontos fortes, para avaliar o índice de risco da presença de Parkinson e saber o que As áreas são afetadas pela doença. Este teste destina-se a jovens adultos, idosos ou idosos que possuem alguns dos factores de risco. Qualquer utilizador individual ou profissional pode lidar com estes testes de avaliação neuropsicológica sem dificuldade.

O relatório de resultados estará disponível automaticamente após o teste, que geralmente dura cerca de 30-40 minutos.

O diagnóstico de doença de Parkinson (AD) requer uma avaliação multidisciplinar e um diagnóstico diferencial abrangente para excluir que sintomas mal adaptativos ou disfuncionais possam ser melhor explicados pela presença de um transtorno de humor, outra doença degenerativa ou outras patologias.

História clínica, exame físico e neurológico, exames laboratoriais, escalas, testes de neuro-imagem e exames neuro-fisiológicos são as ferramentas mais eficazes para diagnosticar a doença de Parkinson, embora isso não seja o suficiente para conhecer o grau de deterioração cognitiva derivada da doença. Para conhecer a profundidade do transtorno, é necessário realizar uma avaliação clínica e neuropsicológica exaustiva. Recomenda-se o uso deste teste completo de Parkinson de forma complementar ao diagnóstico profissional e não como substituto da entrevista clínica.

Protocolo digitalizado para avaliação da doença de Parkinson (CAB-PK)

Protocolo digitalizado para avaliação da doença de Parkinson (CAB-PK)

Esta avaliação cognitiva completa para a detecção da doença de Parkinson consiste num questionário e em testes neuropsicológicos. A sua duração é de cerca de 30-40 minutos.

O adulto ou idoso em risco de Parkinson deve responder a um questionário que avalie os sintomas e sinais clínicos relacionados a esta doença e, em seguida, realizar uma série de exercícios e tarefas validadas que são apresentadas na forma de jogos de computador simples.

Questionário sobre critérios de diagnóstico

Uma série de perguntas fáceis de responder são apresentadas com o objetivo de detectar os principais critérios diagnósticos (DSM-5), sinais e sintomas de Parkinson. O questionário contém testes de triagem.

Factores neuro-psicológicos e perfil cognitivo

O CAB-PK continua com uma bateria de tarefas destinadas a avaliar os principais fatores neuropsicológicos identificados na literatura científica para este transtorno. Os resultados serão comparados com as escalas de acordo com a idade e sexo do usuário.

Relatório completo de resultados

No final do teste de Parkinson, o CogniFit gera um relatório de resultados totalmente detalhado, onde o risco de sofrer o transtorno aparece (baixo-médio-alto) e permitirá que conheça os sintomas e sinais de alerta, o perfil cognitivo, a análise dos resultados, recomendações e diretrizes. Os resultados oferecem informações valiosas, uma base para a identificação de estratégias de suporte.

Resultados Psico-métricos

Resultados Psico-métricos

A Avaliação cognitiva para pacientes com Parkinson (CAB-PK) aplica algoritmos patenteados e tecnologia de inteligência artificial (IA) para analisar mais de mil variáveis ​​e notificar se há risco de Parkinson com resultados psicométricos muito satisfatórios.

O perfil cognitivo do relatório neuropsicológico tem alta confiabilidade, consistência e estabilidade. O teste foi validado através de testes repetidos e processos de medição. Projetos transversais de pesquisa foram seguidos, como o coeficiente Alpha de Cronbach, atingindo valores em torno de .9. Test-Retest testes obtiveram valores próximos de 1, o que mostra alta confiabilidade e precisão.

Ver tabela de validação

A quem se dirige?

A quem se dirige?

A Avaliação cognitiva para pacientes com Parkinson (CAB-PK) pode ser aplicada a adultos jovens, adultos e idosos que são suspeitos de sofrer de um factor de risco relacionado à doença de Parkinson.

Qualquer utilizador individual ou profissional pode lidar com estes testes de avaliação neuropsicológica sem dificuldade. Para usar este programa clínico, não é necessário ter conhecimento sobre neurociências ou informática. Destina-se especialmente a:

Utilizadores privados

Conhecer o estado do meu cérebro, bem como os meus pontos fortes ou fracos

Através dos testes de avaliação cognitiva da CogniFit para Parkinson, o utilizador poderá verificar o status das suas diferentes habilidades cognitivas relacionadas com esta doença e, através da exploração dos seus sintomas com um simples questionário, poderá conhecer o índice de risco de sofrer de Parkinson.

Profissionais de saúde

Avaliar com precisão os meus pacientes e oferecer um relatório completo dos resultados

Os testes de avaliação neuropsicológica da CogniFit da Parkinson permitem auxiliar os profissionais de saúde no exercício de detecção, diagnóstico e intervenção. A detecção de sintomas e disfunções cognitivas é o primeiro passo para identificar esta doença neurodegenerativa e para orientar o diagnóstico de intervenção neuropsicológica adequada. Com este poderoso software de gestão de pacientes, pode estudar várias variáveis ​​e oferecer relatórios personalizados completos.

Parentes, cuidadores e particulares

Identifique se os meus entes queridos apresentam risco de deterioração cognitiva relacionada a Parkison

Os testes de avaliação cognitiva para Parkinson é um recurso científico, composto por um questionário e alguns testes simples que podem ser praticados on-line. Permite que qualquer pessoa, sem conhecimento especializado, avalie os diferentes fatores neuropsicológicos identificados na doença de Parkinson. O sistema de resultados completo permite identificar se existe o risco de sofrer de qualquer dos distúrbios cognitivos relacionados à doença e detalha as diretrizes para cada caso.

Pesquisadores

Medir as habilidades cognitivas dos participantes da pesquisa

Através da Avaliação cognitiva para pacientes com Parkinson (CAB-PK), é possível medir com rigor e eficiência o estado das diferentes habilidades cognitivas relacionadas a esta doença numa investigação científica.

Vantagens

Vantagens

O uso deste suporte de computador com base em metodologia científica para avaliar de forma rápida e precisa a presença de sintomas, fraquezas, pontos fortes, traços e disfunções nos processos cognitivos afetados pela doença de Parkinson oferece múltiplas vantagens:

FERRAMENTA PROFISSIONAL

A Avaliação cognitiva para pacientes com Parkinson (CAB-PK) é um recurso profissional criado por especialistas em doenças neurodegenerativas. Os testes cognitivos foram patenteados e validados clinicamente. Este instrumento líder é utilizado pela comunidade científica, universidades, famílias, associações, fundações e centros médicos em todo o mundo.

FÁCIL DE GERIR

Qualquer utilizador individual ou profissional (profissional de saúde, membro da família, etc.) pode manipular pessoalmente esta avaliação neuropsicológica sem necessidade de conhecimento sobre neurociências ou informática. O formato interactivo deste teste e escala permite uma gestão ágil e efetiva.

USO SIMPLES

Todas as tarefas clínicas são apresentadas de forma totalmente automatizada. Para torná-los acessíveis e divertidos, eles foram desenvolvidos sob a forma de divertidos jogos interativos, facilitando a sua compreensão.

RELATÓRIO DETALHADO DE RESULTADOS

A Avaliação cognitiva para pacientes com Parkinson (CAB-PK) permite oferecer um feedback rápido e preciso, criando um sistema completo e útil de análise dos resultados. Ele fornece informações totalmente compreensíveis que nos permitem reconhecer sintomas clínicos, fracos, pontos fortes e o índice de risco.

ANÁLISES E RECOMENDAÇÕES

Este poderoso software nos permite analisar mais de mil variáveis ​​e oferecer recomendações muito específicas, ajustadas ao tipo de deterioração e às necessidades de cada pessoa.

Em que casos é aconselhável aplicar este teste de Parkinson?

Em que casos é aconselhável aplicar este teste de Parkinson?

Com estes testes de avaliação, é possível detectar de forma confiável o risco de apresentar sintomas e deterioração cognitiva relacionada à Parkinson em adultos jovens, idosos ou idosos.

Se se suspeitar que uma pessoa idosa pode estar em risco de doença mental de Parkinson ou deficiência cognitiva relacionada, recomenda-se realizar esta avaliação o mais rápido possível. A detecção precoce permite iniciar um tratamento e um programa adequado de estimulação cognitiva que ajuda a manter as habilidades cognitivas alteradas em Parkinson a um nível funcional.

Este teste de avaliação neuropsicológica também permite identificar o risco de início precoce de Parkinson e deterioração cognitiva associada em pessoas mais jovens. Embora se estime que a doença de Parkinson com início precoce (diagnosticada antes dos 49 anos) representa apenas 10% de todos os pacientes com Parkinson, deve-se ter em mente que milhares de jovens permanecem afetados. É possível que, nessas idades, a deterioração funcional e cognitiva ainda não seja evidente, mas o ideal é começar a estimular as capacidades cognitivas o mais rápido possível, de modo a minimizar a deterioração.

A falta de detecção precoce, ou as ferramentas adaptadas necessárias, dificultam o funcionamento diário e podem levar a problemas no local de trabalho, na interação social ou familiar e na esfera emocional.

Portanto, esta síndrome não envolve apenas tremores em repouso, mas também afecta diferentes aspectos cognitivos: problemas de atenção e memória, alterações viso-espaciais, processamento lento, disfunção executiva e linguística. O Parkinson está associado a um atraso e dificuldades no funcionamento funcional, laboral e social. Principalmente pode diferenciar entre:

Casos de Parkinson
Os sintomas mais representativos
Descrição
De acordo com o tipo de dificuldades
Dificuldades na motricidade e no movimento
Dificuldades na línguagem
Dificuldades no sono
Problemas no estado psicológico

Dificuldades na motricidade e no movimento

Os sintomas mais conhecidos e óbvios são as alterações motoras visíveis na doença de Parkinson. O tremor, a rigidez, a lentidão e a instabilidade postural podem impedir grandemente o dia a dia do paciente. Por exemplo, a lentidão pode impedir que o paciente reaja no tempo ao cozinhar e a água se derrube para ferver, ou o simples ato de se mover de uma sala para outra pode ser uma atividade pesada.

Dificuldades na línguagem

A maioria das pessoas afetadas pela doença de Parkinson experimenta mudanças na fala e na voz. Além disso, os problemas também parecem engolir com o avanço da doença. Os sintomas que aparecem no resto do corpo (tremores, rigidez e lentidão) também podem ocorrer nos músculos responsáveis ​​pela fala e engolir. Desta forma, é possível que a pessoa com Parkinson precise de mais tempo para responder a uma pergunta, ou que a obstrução ocorre ao misturar texturas.

Dificuldades no sono

33% dos pacientes com doença de Parkinson apresentam insônia, uma vez que os distúrbios do sono são comuns nesta doença. Outros tipos de distúrbios do sono comuns em Parkinson são sonhos vivos, sonolência diurna ou mudanças no ciclo sono-sonolência. Isso pode levar a uma pessoa com o cansativo de Parkinson durante o dia e ter problemas para dormir à noite.

Problemas no estado psicológico

Existe um grupo de sintomas não motores em pessoas com Parkinson, como depressão, ansiedade ou apatia. É possível que eles possam experimentar alucinações, delírios, perda de controle de impulso e acabar manifestando comportamentos inapropriados. Por esta razão, não é incomum que os pacientes com Parkinson também estejam tristes e não tenham interesse nas atividades que sempre gostaram.

Descrição do questionário de critérios diagnósticos

Descrição do questionário de critérios diagnósticos

O Parkinson é caracterizada por uma série de sintomas e sinais clínicos. Estes indicadores podem nos fazer suspeitar da presença desse transtorno. Portanto, o primeiro passo do teste para a Avaliação cognitiva para pacientes com Parkinson (CAB-PK) consiste num questionário com testes de triagem que se adaptam aos principais critérios diagnósticos, sinais e sintomas da doença de Parkinson apropriados para cada faixa etária.

As perguntas apresentadas aqui são semelhantes às que podem ser encontradas num manual de diagnóstico, questionário clínico ou escalas de avaliação, no entanto, eles foram simplificados para que possam ser entendidos e atendidos por praticamente qualquer um.

Critérios diagnósticos em adultos jovens e idosos

Consiste numa série de itens facilmente respondidos que podem ser preenchidos pelo profissional responsável pela avaliação ou pela pessoa que realiza o teste de Parkinson. O questionário recolhe itens sobre os seguintes domínios; Motricidade e movimento (lentidão, instabilidade postural, tremores, rigidez...), estado psicológico (depressão, ansiedade, apatia...), sono (insónia, sonolência diurna, sonhos vivos, alterações do ciclo sono-sonolência...) e idioma (mudanças na fala, voz, problemas de deglutição...).

Descrição dos testes para avaliar os fatores neuropsicológicos envolvidos em Parkinson

Descrição dos testes para avaliar os fatores neuropsicológicos envolvidos em Parkinson

A presença de alterações em algumas das habilidades cognitivas pode ser um indicador de Parkinson. Um perfil geral das habilidades cognitivas pode nos dizer o quão intenso é a gama de alterações cognitivas derivadas dessa doença.

Alguns dos problemas de estado psicológico, sono, linguagem e motor podem ser dados por déficits nas várias habilidades cognitivas. Estes são os domínios e habilidades cognitivas avaliadas no teste de Parkinson (CAB-PK).

Domínios Cognitivos Avaliados
Habilidades Cognitivas

Atenção

Capacidade de filtrar as distrações e concentrar-se em informações relevantes.

Excelente

\ $ s % acima da média

Foco

Atenção focalizada e Parkinson. A Atenção focalizada é a capacidade de concentrar nossa atenção em um estímulo objetivo, independentemente da duração da fixação. Muitas vezes, as pessoas com Parkinson têm dificuldade em se concentrar em eventos ou estímulos relevantes e apropriados. Isso pode causar, por exemplo, pessoas com doença de Parkinson para perder informações durante uma conversa ou durante um evento.

733Sua pontuação

400Média para a sua idade

Memória

Capacidade de reter ou manipular novas informações e recuperar memórias do passado.

Excelente

\ $ s % acima da média

Memória a Curto Prazo

Memória de curto prazo e Parkinson. A memória de curto prazo é a capacidade de manter uma pequena quantidade de informações por um curto período de tempo. A doença de Parkinson poderia, por exemplo, dificultar ou impedir a compreensão da informação lida.

564Sua pontuação

400Média para a sua idade

Memória Visual a Curto Prazo

A memória visual de curto prazo (MVCP) é definida como a capacidade de reter uma pequena quantidade de informação visual (letras, figuras, cores...) por um curto período de tempo. A memória visual de curto prazo parece ser afetada em pessoas com doença de Parkinson, deixando a memória verbal de curto prazo em boa forma. As alterações na memória visual de curto prazo são consideradas como correspondendo à gravidade da doença e ao desempenho motor do utilizador.

716Sua pontuação

400Média para a sua idade

Memória de Trabalho

Memória de trabalho e Parkinson. Memória de trabalho é a capacidade de reter e manipular informações necessárias para tarefas cognitivas complexas, como a compreensão, aprendizagem e raciocínio do idioma. Um déficit na memória de trabalho relacionado ao Parkinson pode implicar dificuldades em entender linguagem escrita, linguagem falada ou para trabalhar com a informação recebida.

617Sua pontuação

400Média para a sua idade

Coordenação

Capacidade de executar com eficiência movimentos precisos e ordenados.

Excelente

\ $ s % acima da média

Tempo de Resposta

Tempo de reação e Parkinson. O tempo de reação refere-se ao tempo que passa quando percebemos algo até dar uma resposta a esse estímulo. Um dos principais distúrbios motores que aparece na doença de Parkinson é bradicinesia ou desaceleração do motor. Portanto, o tempo de reação das pessoas com Parkinson pode ser maior (ou seja, mais lento) para realizar atividades físicas, como comer ou vestir.

719Sua pontuação

400Média para a sua idade

Percepção

Capacidade de interpretar os estímulos do nosso ambiente.

Excelente

\ $ s % acima da média

Reconhecimento

O reconhecimento é a capacidade do nosso cérebro de identificar os estímulos que percebemos anteriormente (situações, pessoas, objetos, etc.). Diferentes estudos indicam déficits de reconhecimento em pessoas com doença de Parkinson, acontecendo este problema tanto em pessoas que desenvolveram a demência como em pessoas sem esta demência.

654Sua pontuação

400Média para a sua idade

Percepção Visual

Percepção visual e Parkinson. A percepção visual é a capacidade de interpretar a informação que nossos olhos nos dão sobre o meio ambiente. As estruturas subcorticais afetadas em Parkinson também estão envolvidas na percepção visual. Isso significa que pessoas com Parkinson podem ter dificuldades em interpretar esta informação visual.

646Sua pontuação

400Média para a sua idade

Reasoning

Capacidade de elaborar (ordenar, relacionar ...) eficientemente as informações adquiridas.

Excelente

\ $ s % acima da média

Planificação

Capacidade de planificação e Parkinson. A planificação é a capacidade de organizar mentalmente a melhor maneira de alcançar um objetivo no futuro. Pessoas com alterações no planeamento, geralmente apresentadas por Parkinson, que podem causar problemas para seqüenciar ações, como planear quais os ingredientes que precisará para completar corretamente uma receita.

480Sua pontuação

400Média para a sua idade

Velocidade de Processamento

Velocidade de processamento e Parkinson. A velocidade de processamento é o tempo que uma pessoa precisa realizar uma tarefa mental. Na doença de Parkinson, não só há uma desaceleração dos movimentos, mas a velocidade do processamento mental também é reduzida. Isso significa que uma pessoa com doença de Parkinson pode exigir mais tempo para lembrar informações ou resolver um problema.

500Sua pontuação

400Média para a sua idade

Flexibilidade Cognitiva

A Flexibilidade Cognitiva ou Flexibilidade Mental pode ser definida como a habilidade do nosso cérebro de adaptar o nosso comportamento e pensamento a situações novas, mutáveis ​​ou inesperadas. Vários estudos indicam que as pessoas com doença de Parkinson tendem a ter um pior desempenho na flexibilidade cognitiva, o que acarreta um maior número de erros constantes, que podem ser detectados ainda no início da doença.

546Sua pontuação

400Média para a sua idade

Tarefas de avaliação que contém

Nossas avaliações cognitivas digitais

Os testes digitais CogniFit são projetados para medir áreas específicas de cognição e são agrupados para formar baterias personalizadas com base nos requisitos exclusivos do desenho do estudo e da população. Saiba mais sobre nossos diferentes testes e como eles podem atender às necessidades exclusivas de seu estudo explorando os detalhes e demonstrações abaixo.

Teste de toque

O teste de velocidade REST-HECOOR foi inspirado no clássico Finger Tapping Test da avaliação NEPSY (Korkman et al., 1998). O utilizador deve clicar o maior número de vezes possível em 10 segundos e o mais rápido possível com o rato, ou o dedo se estiver a usar um dispositivo táctil, numa área definida do ecrã. Os dados são recolhidos como o número de cliques durante o tempo alocado, o número de cliques dentro da área definida e o número de cliques fora dela.

Teste de Vigilância Psicomotora

O Teste de Resolução REST-SPER foi inspirado nos paradigmas clássicos da Tarefa Go/No Go (Gordon & Caramazza, 1982), do Teste de Desempenho Contínuo (Conners, 1989; Epstein et al., 2001) e da Vigilância Psicomotora (Dinges & Powell, 1985). A pessoa que faz o teste deve clicar rapidamente nos círculos que aparecem no ecrã e ignorar os hexágonos, caso apareçam. Na tarefa existem apenas 16 itens de círculos e 8 itens de círculos e hexágonos. Para cada item, são recolhidos dados sobre o tempo de resposta, precisão de resposta e distância do cursor ao centro do alvo.

Teste de Extensão da Memória de Trabalho Visual

O teste de concentração VISMEM-PLAN teve como referência o block-tapping test de Corsi (Corsi, 1972; Kessels et al., 2000; Wechsler, 1945). Na primeira parte da tarefa, alguns círculos são iluminados, dentro de um conjunto fixo de círculos. A pessoa que faz o teste deve memorizar que círculos foram iluminados e depois tentar reproduzir a sequência na ordem correcta. Na segunda parte da tarefa, é adicionado um atraso de 4 segundos entre o primeiro e o segundo ecrã, com a finalidade de aumentar o tempo que o utilizador deve reter as informações.

Teste de coordenação olho-mão Trajetória fixa e direção previsível

O Teste de Sincronização UPDA-SHIF é baseado no Sistema de Teste de Viena (VST) (Whiteside, 2002). Nesta tarefa, o examinado é solicitado a seguir com cuidado e precisão uma bola se movendo ao longo de um caminho. A distância em pixels entre o centro da bola e o cursor movido pelo usuário será levada em consideração.

Teste de Memória Lexical Multimodal

O teste de identificação COM-NAM é baseado no teste de nomeação de Boston (Kaplan et al., 1983) e no teste de vocabulário WAIS-III (Wechsler, 1997). Para cada objeto exibido, o examinador deve escolher entre três possibilidades: 1) o objeto é apresentado pela primeira vez na tarefa, 2) a última vez que o objeto apareceu foi lido em voz alta ou 3) a última vez que o objeto apareceu. objeto foi apresentado como uma imagem.

Teste de Memória Lexical

O teste REST-COM foi baseado no clássico Teste de Nomes de Boston (Kaplan et al., 1983), o Teste de Vocabulário WAIS-III (Wechsler, 1997), o Teste de Variáveis de Atenção (Greenberg et al., 1996) e o Teste de Aprendizagem Verbal Auditiva Rey (Schmidt, 1994). É mostrada uma série de objectos. Num novo conjunto de objectos, o tomador do teste deve reconhecer apenas os objectos que foram mostrados anteriormente. Este novo conjunto pode ser apresentado como imagens ou como palavras faladas.

Teste de extensão de dígitos

O teste de sequenciamento WOM-ASM está baseado no clássico teste de dígitos directos e indiretos WAIS-III (Wechsler, 1997). A pessoa que faz o teste deve lembrar e reproduzir sequências numéricas cada vez mais longas, que aparecem dígito a dígito no ecrã. A tarefa começará com uma sequência de dois números.

Teste de nomeação

O teste de decodificação VIPER-NAM foi inspirado no teste de nomeação de Boston (Kaplan et al., 1983) e no teste de vocabulário WAIS-III (Wechsler, 1997). A pessoa que realiza o teste deve clicar na primeira letra do nome do objecto apresentado, dentre as quatro letras exibidas no ecrã. Por exemplo, no caso da imagem de uma "Maçã", o examinador deve clicar na letra "M", mas não nas três respostas incorretas (C, P, A) que também aparecem no ecrã.

Teste de Atenção Dividida

O Teste de Simultaneidade DIAT-SHIF vem do clássico teste de Stroop (Stroop, 1935), do Sistema de Teste de Viena (Whiteside, 2002) e do Teste de Variáveis de Atenção (Greenberg et al., 1996). O examinado deve seguir com precisão uma bola que se move e gira em todas as direções na tela enquanto, ao mesmo tempo, realiza uma variante do teste de Stroop.

Cérebro e Parkinson

Cérebro e Parkinson

As pessoas com Parkinson não só apresentam tremores e dificuldades no nível motor, mas as alterações cerebrais derivadas da doença também têm conseqüências negativas em um nível cognitivo. As áreas cerebrais que são alteradas principalmente na doença de Parkinson são a Substância Negra e, consequentemente, os gânglios basais.

1 Substância Negra

A substância negra é um grupo de neurônios dopaminérgicos (que produzem o neurotransmissor "dopamina") pigmentados por um elemento chamado "neuromelanina", que lhe dá uma cor negruzca. Os axônios dopaminérgicos desses neurônios se conectam com outros núcleos dos gânglios basais. Na doença de Parkinson, há uma destruição dos neurônios da substância negra, que interrompe ou dificulta a conexão da dopamina entre a substância negra e os gânglios basais.

2 Gânglios basais

Os gânglios basais são um conjunto de estruturas subcorticais localizadas na "base" do cérebro. A principal função dos gânglios basais consiste na regulação do movimento voluntário e no aprendizado das habilidades motoras. A dopamina é um neurotransmissor fundamental no funcionamento correto dos gânglios basais. Com a morte dos neurônios dopaminérgicos da substância negra, os gânglios basais atuam erraticamente, produzindo os sintomas do parkinsonismo, a rigidez e a lentidão do movimento tão características do Parkinson, além de certos sintomas cognitivos.

Serviço ao cliente

Serviço ao cliente

Se tiver alguma dúvida sobre o funcionamento, gestão ou interpretação dos dados de nossas Avaliações, entre em contacto connosco imediatamente. A nossa equipa de profissionais responderá às suas perguntas e ajuda-lo-á com tudo o que precisar.

Contactar Agora

Referências científicas

Referências científicas

  • Lees, A. J., & Smith, E. (1983). Cognitive deficits in the early stages of Parkinson’s disease. Brain, 106(2), 257-270.
  • Dubois, B., & Pillon, B. (1996). Cognitive deficits in Parkinson’s disease. Journal of Neurology, 244(1), 2-8.
  • Owen, A. M., James, M., Leigh, P. N., Summers, B. A., Marsden, C. D., Quinn, N. P., … Robbins, T. W. (1992). Fronto-striatal cognitive deficits at different stages of Parkinson’s disease. Brain, 115(6), 1727-1751.
  • Da Silva, F. C., Iop, R. da R., de Oliveira, L. C., Boll, A. M., de Alvarenga, J. G. S., Gutierres Filho, P. J. B., … da Silva, R. (2018). Effects of physical exercise programs on cognitive function in Parkinson’s disease patients: A systematic review of randomized controlled trials of the last 10 years. PLOS ONE, 13(2), e0193113.
  • Ding W, Ding LJ, Li FF, Han Y, Mu L. (2015). Neurodegeneration and cognition in Parkinson's disease: a review. Eur Rev Med Pharmacol Sci.;19(12):2275‐2281.
  • Litvan, I., Goldman, J. G., Tröster, A. I., Schmand, B. A., Weintraub, D., Petersen, R. C., … Emre, M. (2012). Diagnostic criteria for mild cognitive impairment in Parkinson’s disease: Movement Disorder Society Task Force guidelines. Movement Disorders, 27(3), 349-356.
  • Gauntlett-Gilbert, J., & Brown, V. J. (1998). Reaction Time Deficits and Parkinson’s Disease. Neuroscience & Biobehavioral Reviews, 22(6), 865-881.
  • Evarts, E. V., Teräväinen, H., & Calne, D. B. (1981). Reaction time in Parkinson’s disease. Brain, 104(1), 167-186.

Por favor, escreva o seu endereço de e-mail