Escolha sua plataforma e compre
Tente um mês grátis de carga com 10 licenças.
Para que vai servir a conta?
Cadastre-se

Para o seu próprio uso (apartir dos 13 anos)

loading

Ao se registrar e usar CogniFit, você aceita que leu, entendeu e que está de acordo com as de Uso e a de Privacidade de CogniFit.

corporativelanding_velocidad-procesamiento_social_picture
  • Aceda a um completo conjunto de testes de avaliação da velocidade de processamento e outras habilidades cognitivas

  • Identifica e avalia a presença de alterações ou défices

  • Estimula e melhora a sua velocidade de processamento e outras funções com exercícios clínicos

loading

O que é a rapidez ou velocidade de processamento cognitivo (VP)?

A velocidade de processamento (VP) ou rapidez de processamento é um dos principais elementos do processo cognitivo, pelo que resulta um elemento chave na aprendizagem e rendimento académico, em desenvolvimento intelectual, raciocínio e a experiência.

A velocidade de processamento é uma habilidade cognitiva que pode definir-se como o tempo que leva uma pessoa a fazer uma tarefa mental. Tem haver com a velocidade com que uma pessoa capta e reage a informação que recebe, seja visual (letras e números), auditiva (linguagem) ou movimento. Quer dizer, a velocidade de processamento é o tempo que se demora entre a recepção do estimulo e a resposta ao mesmo.

Ter uma velocidade de processamento lenta não quer dizer que sejamos menos inteligentes, mas sim que somos mais lentos a realizar determinadas tarefas como ler, fazer cálculos matemáticos, ouvir e tomar notas ou manter conversas. Também pode interferir nas habilidades executivas, que fará que lhe custe mais a uma pessoa com velocidade de processamento lenta, ou demorará mais tempo a planificar, fixar metas, tomar decisões, iniciar as tarefas, manter a atenção...

A velocidade de processamento implica a capacidade de realizar com fluídez as tarefas fáceis ou já aprendidas. Refere-se à capacidade de processar informação de forma automática e por isso, rápidamente, sem pensar conscientemente nela. Quanto maior seja a velocidade de processamento, mais eficiente será o pensamento e a aprendizagem.

Em definitivo, a velocidade ou a rapidez de processamento cognitivo é o tempo que passa desde que recebe a informação até que a entende e começa a responder.

Exemplos de velocidade de processamento cognitivo

A velocidade de processamento pode ser contextualizada e aplicada em exercícios como reconhecer padrões visuais simples nas tarefas de exploração visual, assumir as provas que requerem a tomada de decisões simples, realizar cálculos aritméticos básicos, manipular números ou realizar tarefas de raciocínio sob pressão.

Alguns exemplos que poderiam identificar-se com uma rapidez ou velocidade de processamento lenta são: Demora uma hora a realizar tarefas que outras pessoas demorariam 30 minutos? Custa-lhe seguir instruções ou planificar uma determinada actividade, sobretudo, quando não tem muito tempo para terminá-la? Tem más notas nos exames, mesmo se conhece bem a matéria?, etc...

Transtornos e patologias relacionadas com uma velocidade de processamento lenta

A velocidade de processamento lenta não é estructuralmente um problema de aprendizagem ou de atenção e não tem nada que ver com a inteligência, mas impacta em todas as etapas da aprendizagem. Desta maneira, quando falamos de uma velocidade de processamento lenta, pode contribuir a dificuldades de aprendizagem como a TDAH, a dislexia, a discalculia ou o trastorno do processamento auditivo.

Isto reverte e afecta em tarefas como a planificação de objectivos, resolução de problemas e perserverança nas suas metas pessoais.

A velocidade de processamento também co-existe com transtornos do espectro autista e com outras patologias como as demências ou doenças como a esquizofrenia, e produz-se também um atraso na velocidade do processamento.

Como detectar défices na velocidade de processamento cognitivo?

Através de uma avaliação neuropsicológica completa pode-se valorar de maneira eficaz e fiável a velocidade de processamento de qualquer pessoa.

Na CogniFit, através dos testes de avaliação computorizada para avaliar o nível cognitivo ou Cognitive Assesment Battery (CAB), podemos medir de uma maneira precisa o nível cognitivo geral e concretamente, dispomos de uma série de provas cognitivas para avaliar a velocidade de processamento.

Para avaliar a rapidez do processamento, contamos com o teste que mede a velocidade de processamento baseado no teste clássico de Conners (CPT) e na prova de dígitos directos e indirectos de Wechsler Memory Scale (WMS).

O teste de velocidade de processamento foi realizado para avaliar a capacidade de processamento da informação de forma automática. Diz-se que quanto maior é a velocidade de processamento, mais eficiente será a aceitação de informação nova. O transcurso do processamento consiste em receber a informação, entendê-la mediante o processamento e posteriormente a resposta. Se se encontram resultados deficitários nesta área, a habilidade para tomar decisões, o funcionamento executivo e executar as instruções ver-se-ão afectadas.

Além da velocidade de processamento, atráves destas tarefas realiza-se também uma análise exaustiva de outras habilidades muito ligadas à rapidez do processamento, como são a memória do trabalho e a memória visual a curto prazo.

Pode-se melhorar a rapidez de processamento cognitivo?

Como qualquer outra habilidade cognitiva, a velocidade de processamento pode treinar-se, aprender e melhorar, e na CogniFit ajudamos-lhe a consegui-lo. As bases para melhorar a velocidade de processamento estão relacionadas com o desenvolvimento de estratégias metacognitivas.

A chave para melhorar a velocidade de processamento consiste em realizar conexões mais sólidas no cérebro, o que permite que os sinais cerebrais viagem a mais velocidade. Embora a maior parte deste tipo de conexões do cérebro ocorre na infância, a qualquer idade pode tomar medidas para manter e até melhorar potencialmente a velocidade de processamento do seu cérebro.

Graças à plasticidade cerebral ou neuroplasticidade , o cérebro pode mudar a sua estructura e funcionamento. A plasticidade cerebral permite-nos criar novas conexões cerebrais e aumentar os circuitos neuronais, melhorando a sua funcionalidade.

Se algo nos ensinou a neurociência e o estudo da plasticidade cerebral é que quanto mais usamos o circuito neuronal, mais fortes se tornam, e isto é aplicável à velocidade de processamento.

Na Cognifit através do programa de avaliação neurocognitiva avaliaremos a sua rapidez de processamento, e em base aos seus resultados, oferecemos-lhe um completo conjunto de exercícios cognitivos personalizados para melhorar a sua velocidade de processamento.

O programa de avaliação neuropsicológico e de estimulação da CogniFit foi desenhado por uma equipa de neurologistas e psicólogos cognitivos que estudam os processos da plasticidade sináptica e neurogenese. São necessários apenas 15 minutos por dia (2-3 dias por semana) para estimular as capacidades e processos cognitivos.

Este programa está disponível via online. Os diferentes exercícios interactivos, apresentam-se em forma de jogos mentais que pode practicar através do computador. Depois de cada sessão, a CogniFit apresentará um gráfico detalhado com a evolução do seu estado.

Está demonstrado que os exercícios clínicos online da CogniFit fomentam a criação de novas sinápses e circuitos neuronais capazes de re-organizar a função das áreas cognitivas mais deterioradas, entre elas a velocidade de processamento.

Por favor, escreva o seu endereço de e-mail