Escolha sua plataforma e compre
Tente um mês grátis de carga com 10 licenças.
Para que vai servir a conta?
Cadastre-se
loading

Ao se registrar e usar CogniFit, você aceita que leu, entendeu e que está de acordo com as de Uso e a de Privacidade de CogniFit.

corporativelanding_evaluacion_general_social_picture
  • Aceda a esta completa bateria de avaliação neuropsicologica

  • Explora e mede de forma exaustiva as funções cerebrais

  • Identifica e avalia a presença de alterações ou desordens cognitivos.

loading

A bateria de avaliação computadorizada para avaliar o nível cognitivo ou Cognitive Assesment Battery (CAB) de CogniFit, é um completo teste neurocognitivo desenhado para fornecer de recursos aos profissionais implicados na saúde. Graças á bateria de avaliação, o profissional vai dispor de uma ferramenta para a detecção das áreas cognitivas deficitárias em pessoas com ou sim patologia mediante testes mentais medidos a partir de probas cognitivas.

Esta ferramenta de avaliação neurocognitiva ajuda a avaliar uma larga gama de habilidades cognitivas relacionadas con as funções executivas. Permite meder de forma precisao nível cognitivo e compreender o funconamentode diferentes áreas e funcões cerebrais através de

Os dados e resultados obtidos após da avaliação contribuem a reconhecer e compreender determinados desordens cerebrais, alterações comportamentais, lesões cerebrais, transtornos do neurodesenvolvimento ou neurodegenerativos, e permitem ao profissional identificar eficazmente seu diagnostico e ajudar no processo de tratamento. A avaliação neuropsicológica de CogniFit constitui a base para identificar e monitorizar a intervenção do paciente e o seguimento de sua reabilitação.

A avaliação neurocognitiva de CogniFit consta de varias áreas ou bloques. Em cada um deles existem varias tarefas que vão avaliar o rendimento em diferentes domínios neuropsicológicos. São os seguintes:

  • Área da memória: Memória não verbal, memória auditiva em curto prazo, memória em curto prazo, denominação, memória visual em curto prazo, memória de trabalho e memória contextual..
  • Área da atenção: Atenção dividida, enfoque, inibição e atualização.
  • Área da percepção: Percepção espacial, scaneo visual, percepção visual, estimação, reconhecimento e campo visual.
  • Área da coordenação: Coordenação olho-mão e tempo de resposta.
  • Área do Raciocínio: Velocidade do processamento, planejamento e recontextualização.

Bateria de tarefas, provas e teste para a avaliação cognitiva

Tarefas para avaliar a Memória de Trabalho

As tarefas que medem a memória de trabalho estão baseadas no teste clássico de Conners, chamado CPT [1]. Estas tarefas utilizam um labor simples para fazer uma análise e síntese da informação para a consecução duma atividade. No processo da avaliação de estas tarefas intervirá a córtex pré-frontal, a qual é a sede principal das funções executivas. Além, a memória de trabalho, é importante porque vai permitir manipular e integrar informação necessária para tarefas cognitivas complexas como por exemplo a resolução de problemas, manter uma conversa ou obter um ótimo raciocínio.

As Habilidades Cognitivas avaliadas são Memória de trabalho, memória em curto prazo, tempo de resposta, scaneo visual e velocidade de processamento.

Tarefas para avaliar a Memória em Curto Prazo

As tarefas que vão medir a memória em curto prazo, tem sido inspiradas na prova de dígitos direitos e indiretos de WMS (Wechsler Memory Scale) [2]. Estas provas demandam concentração, implicação na tarefa executiva e memória de trabalho. Para atender aos detalhes duma cena ou aceder a uma lembrança num período curto de tempo, precisamos que as nossas áreas cerebrais respondam fluentemente, atuando a região temporal e a região visual ao mesmo tempo. A avaliação desta área vai ajudar ao profissional observar como o usuário aprende um novo conhecimento, compreende o ambiente que nos rodeia e até mesmo como facilita o processo de solução de problemas.

As Habilidades Cognitivas avaliadas são: Memória em curto prazo, percepção especial, planificação, velocidade de processamento e memória operativa ou de trabalho.

Tarefas para avaliar a Denominação

As tarefas que avaliam a denominação foram tomadas como referência do teste clássico NEPSY, de Korkman, Kirk & Kemp (1998) [3]. Estes tipos de tarefas vão requerer de outras habilidades ao mesmo tempo. Estas habilidades as quais se refere são a integridade das representações semânticas, a memória visual e em definitiva o uso das funções linguísticas. Quando identificamos um objeto, previamente devemos de procurá-lo em nossa armazenagem de palavras memorizadas em nosso cérebro, para posteriormente recriar a imagem mental numa palavra.

As Habilidades Cognitivas avaliadas são: Denominação, percepção visual, tempo de resposta, memória contextual e atualização.

Tarefas para avaliar a Memória Visual em Curto Prazo

Esta bateria tem sido baseada no teste clássico TOMM (Test of Memory Malingering), publicado em 1996 [4]. O conjunto de tarefas que integram essa bateria, vão ajudar a lembrar da informação externa numa imagem mental. Estas tarefas vão ser a codificação, a armazenagem e recuperação das representações mentais. O córtex visual vai ser o encarregado de obter informação e identificar om objeto que estamos vendo desde as regiões subcorticais. Visto que a memória visual é importante para o desenvolvimento cognitivo, existem varias tarefas para avaliá-lo.

As Habilidades Cognitivas avaliadas são: Memória em curto prazo, tempo de resposta, memória operativa ou de trabalho, scaneo visual, percepção espacial, planificação, memória contextual, atualização, denominação e memória visual em curto prazo.

Tarefas para avaliar a Memória Auditiva em Curto Prazo

Para avaliar a memória auditiva em curto prazo inspirou-se numa das probas clássicas chamada Rey Auditory Verbal Learning Test (RAVLT) of Rey (1964) [5]. As tarefas que medem a memória auditiva tratam de ajustar a capacidade da pessoa para interpretar os estímulos auditivos provenientes do meio. Em essa tarefa intervém o processo de extração do significado da referida informação e seguidamente a capacidade para compreender a mensagem para finalmente fazer a ação da memória correspondente.

As Habilidades Congnitvas avaliadas são: Planificação, memória visual, memória visual em curto prazo, memória em curto prazo, percepção espacial, tempo de resposta, memória de trabalho e velocidade de processamento.

Tarefas para avaliar a Memória Contextual

As tarefas de memória contextual têm sido inspiradas no Teste clássico Contextual Memory Test, Toglia (1993) [6]. Foi demostrado que o deterioro da memória contextual está associado com o lóbulo frontal e não necessariamente com a idade. A tarefa pretende aproximar o usuário á capacidade de lembrar diferentes aspectos dentro dum mesmo contexto, ou seja, acercar a possibilidade de lembrar diferentes aspectos dum fato e logo lembrá-lo como um conjunto, um tudo contextual.

As Habilidades Cognitivas avaliadas: Memória Contextual, atualização, denominação e tempo de resposta.

Tarefas para avaliar a Atenção Dividida

Esta tarefa foi elaborada a partir dum teste clássico chamado Test Stroop (Stroop, 1935) [7]. É uma tarefa que usa procedimentos para poder atender dois estímulos ao mesmo tempo e precisa da execução em um processo controlado de uma tarefa inovadora. Quando existe mais dum canal sensorial, a atenção se divide, e se a habilidade não é treinada o não está preparado para a recepção dos estímulos, pode existir uma sobrecarga dos recursos atencionais e que a atenção seja dirigida unicamente á tarefa mais complexa. Quando são atendidos dos estímulos simultaneamente, se inicia uma dupla "ativação" que vai ir situada nos dois hemisférios ao mesmo tempo.

As Habilidades Cognitivas avaliadas são: Atenção dividida, atualização e coordenação olho-mão.

Tarefas para avaliar o Enfoque

Esta tarefa foi baseada a partir do teste clássico CPT de Conners [1]. Elabora procedimentos para manter a atenção sobre uma tarefa durante um período de tempo prolongado e dirigir os esforços para um foco para obter resultados determinados. Aumentando os níveis de concentração ou enfoque, aumenta-se a produtividade na vida social e laboral duma pessoa.

As Habilidades Cognitivas avaliadas são: Enfoque, recontextualização e inibição.

Tarefas para avaliar a Inibição

Tarefas inspiradas a partir do clássico Test Stroop (Stroop, 1935) [7]. Este teste avalia as funções executivas relacionadas com a planificação, a inibição e a atenção entre outras. Quando se tem numerosos estímulos atencionais ao mesmo tempo, o cérebro tende a prestar atenção a aquilo mais relevante e a inibir o menos relevante dentro da tarefa. O dia a dia duma pessoa está cheio de estimulação, seja ruídos, vozes, sons ou qualquer sensação que venha do exterior, mais é nesse momento em que o cérebro tem que diferenciar entre o importante e menos importante para atuar em concordância dentro do contexto.

As Habilidades Cognitivas avaliadas são: Inibição, tempo de resposta, rapidez do processamento, recontextualização, coordenação olho-mão e atualização.

Tarefas para avaliar a Atualização

O teste originário com que é medida a atualização ou flexibilidade cognitiva propriamente dito, foi inspirado em o teste de Wisconsin Card Sorting Test (WCST) [8].As tarefas que avaliam a atualização vão orientadas a conseguir uma melhor adaptação do usuário ao médio. Existem varias formas de poder ser flexível aos acontecimentos mais para isso existe um conjunto de processos cognitivos que ajudam a manejá-lo da forma mais adequada, e estes são os recursos que tem que ser reforçados para conseguir novas mudanças no entorno. O aprendizagem da atualização em nosso comportamento, se leva a cabo graças á flexibilidade e adaptação que é processada mediante as conexões de novas redes neuronais chamadas sinapses. As pessoas com esta competência são mais capazes de adquirir novas habilidades e de se incorporar ao entorno de uma maneira mais adequada e funcional. O objetivo é que a pessoa consiga responder as mudanças com flexibilidade, poda se adaptar as circunstâncias mutáveis e ative a promoção á mudança.

As Habilidades Cognitivas avaliadas são: Atualização, tempo de resposta, coordinação olho-mão, recontextualização e inhibição

Tarefas para avaliar o Planejamento

As tarefas estão baseadas em vários testes clássicos, mais entre eles, o teste clássico TOL, Torre de Londres, Shallice (1982) [9]. Estas tarefas são as encarregadas de ajudar ao usuário a prever um acontecimento e a antecipar-se a ele. Pretende-se ajudar a tomar decisões, estabelecer metas, distribuir produtivamente o tempo e as ações cognitivas bem como tender á auto regulação. A área responsável do planejamento e a toma de decisões é o chamado córtex frontal ventrolateral, região que controla os processos do pensamento complexos. Por conseguinte, se é avaliado o nível de planejamento do sujeito, vamos obter qual é o estado de essa parte do cérebro que favorece evitar o deterioro no planejamento de objetivos.

As Habilidades Cognitivas avaliadas são: Planejamento, percepção espacial, memória visual em curto prazo e scanneo visual.

Tarefas para avaliar a Recontextualização

O teste originário com que é medida a atualização e recontextualização, tem sido inspirado em o teste de Wisconsin Card Sorting Test (WCST) [8] e além, elaborada a partir dum teste clássico chamado Test Stroop (Stroop, 1935) [7]. As tarefas que avaliam essa área estão projetadas para além de reorientar o usuário para a concentração de um canal de informação á outro o mais rápido possível e sem distrações, ajuda a mudar o rumo das ações mantendo um ritmo constante e bem sucedido.

As Habilidades Cognitivas avaliadas são: Recontextualização, atenção dividida, coordenação olho-mão e atualização.

Tarefas para avaliar a Velocidade de Processamento

O teste que mede a velocidade de processamento foi baseado em o teste clássico de Conners (CPT) [1] e na proba de dígitos direitos e indiretos de Wechsler Memory Scale (WMS) [2]. O teste de velocidade de processamento foi concebido para melhorar a capacidade de processamento da informação de forma automática. Dispõe-se que a maior velocidade de processamento, mais eficientemente vai se assumir uma informação nova. O transcurso do processamento que consiste em receber a informação, entendê-la mediante o processamento e posteriormente a resposta. Se se encontram resultados deficitários nessa área, a habilidade para tomar decisões, o funcionamento executivo e executar as instruções serão afeitadas significativamente.

As Habilidades Cognitivas avaliadas são: Velocidade de processamento, memória de trabalho e memória visual em curto prazo.

Tarefas para avaliar o Scaneo Visual

Tarefa que está inspirada no teste clássico Hooper Visual Organisation Task (VOT) de Hooper (1983) [10]. A tarefa de scanneo visual elabora procedimentos para achar a informação relevante num curto período de tempo e da maneira mais eficiente possível. Por outro lado, se mede a capacidade de organizar estímulos visuais mediante o movimento ocular.

As Habilidades Cognitivas avaliadas são: Scanneo visual, tempo de resposta, coordenação olho-mão, planejamento, percepção espacial e memória operativa.

Tarefas para avaliar a Coordenación Olho-Mão

O teste para avaliar a habilidade foi inspirado no teste clássico de Wisconsin Card Sorting Test (WCST) [8] e por o teste Stroop [7]. As tarefas elaboradas para avaliar o nível de coordenação olho-mão, avaliam as capacidades neuromusculares do usuário na hora de fazer o exercício. Trata-se de ajustar os movimentos que relacionam a mão e o acompanhamento visual dum objeto ou estímulo. O usuário vai obter a capacidade de sincronizar a ação dos músculos que produzem o movimento da mão para poder precisar uma velocidade e intensidade adequada.

As Habilidades Cognitivas avaliadas são: A coordenação olho-mão, atualização, recontextualização e atenção dividida.

Tarefas para avaliar o Tempo de Resposta

Estas tarefas foram inspiradas no Teste clássico TOVA [11] para medir o tempo de resposta. Estas tarefas elaboram procedimentos para medir a velocidade em responder á aparição dum estímulo simples. As tarefas que avaliam o tempo de resposta estão relacionadas com o processamento da informação, já que ambos os processos condicionam de certa maneira à aprendizagem e á atenção. A avaliação de esta função vai ajudar ao profissional observar no sujeito a capacidade de resolução de problemas, toma de decisões e a capacidade de elaboração duma maior quantidade de informação no menor tempo possível interferindo no correto funcionamento das funções executivas.

As Habilidades Cognitivas avaliadas são: Tempo de resposta, memória de trabalho, scanneo visual, coordenação olho-mão, inibição, atualização, denominação, percepção visual e memória contextual.

Tarefas para avaliar a Percepção Espacial

As tarefas que medem a percepção espacial foram inspiradas no conjunto de testes clássicos de Torre de Londres (TOL) e no teste de Hooper Visual Organisation Task (VOT) de Hooper (1983) [10]. Estas tarefas ajudam a observar a capacidade de desenvolvimento do esquema corporal e permitirá analisar as sensações espaciais para poder organizá-las e compreende-las à posteriori. Em resumo, o usuário deverá ser capaz de mover-se no espaço, de poder orientar-se e analisar as situações, assim como representá-las.

As Habilidades Cognitivas avaliadas são: Percepção espacial, scanneo visual, memória curto prazo.

Tarefas para avaliar a Percepção Visual

Esta tarefa foi inspirada no metodo da avaliação da percepção visual de Frosting (1961) (DTVP) [13], o qual integra a percepção visual e óculo motora e completa noçoes do teste clássico de Korkman, Kirk y Kemp de 1998 (NEPSY) [3]. A tarefa vai se encarregar de avalariar, atraves dos sentidos, o nível de percepçao

As Habilidades Cognitivas avaliadas são: Percepção visual, denominação e tempo de resposta.

Tarefas para avaliar o Reconhecimento

Esta tarefa foi inspirada no teste de Conners (CPT) [1] e no teste clássico TOMM (Test of Memory Malingering) [4]. Ao fazer esta tarefa, o usuário obterá um resultado da capacidade para recuperar a informação do passado e poder de reconhecer aqueles acontecimentos, lugares u objetos estavam presentes. Por tanto vai se avaliar a memória junto á codificação e a capacidade de armazenamento.

As Habilidades Cognitivas avaliadas são: Reconhecimento, tempo de resposta, memória de trabalho, scanneo visual e percepção espacial.

Tarefas para avaliar a Estimação

La estimação como habilidade para achar uma aproximação sobre o futuro próximo, é medida a partir de varias tarefas. Estas avaliam exclusivamente a estimação ou capacidade de se aproximar a uma medição ou dado aproximado. Cada uma das tarefas relacionadas com a estimação, avaliará a capacidade do usuário para valorar a velocidade, a distancia ou o tempo em diferentes parâmetros.

As Habilidades Cognitivas avaliadas são: Estimação

Tarefas para avaliar a Memória não Verbal

Esta tarefa foi inspirada no teste clássico de Korkman, Kirk y Kemp em 1998 (NEPSY) [3] e no teste Memory Malingering (TOMM) [4] A memória não verbal, ajuda a armazenar e recuperar representações mentais que tenhamos retido com os sentidos. A memória não verbal tende a se ver afetada quando o hemisfério direito é danificado. A tarefa avalia a habilidade de armazenamento temporal da informação não verbal bem como as capacidades óculo-espaciais, que ajudam na consolidação da informação.

As Habilidades Cognitivas Avaliadas são: Memória não verbal, denominação, memória contextual, atualização, tempo de resposta, memória de trabalho, atualização, memória visual, percepção visual, reconhecimento e rapidez de processamento.

Tarefas para avaliar o Campo Visual

Esta tarefa foi criada com base no Test Useful Field of Vision (UFOV). A tarefa pretende medir a quantidade de informação que podemos ver quando fixamos o olhar num ponto, ou seja, tudo o que se pode ver além do objeto em que foi centrado o olhar. Por isso, a tarefa tenta avaliar tudo o que você pode detectar encima, embaixo e aos lados enquanto o olhar está posto num solo objeto. Além, se pode observar e avaliar a velocidade visual que o usuário tem para detectar um estímulo.

As Habilidades Cognitivas avaliadas são: Campo visual

Processo de avaliação

  • Duração: A realização da Bateria de Avaliação Cognitiva durará cerca de 40 minutos.
  • Pontuação dos resultados: Automatizado.
  • Usuários aos quais vai dirigida: Crianças (a partir dos 6 anos) e adultos.
  • Resultados: Personalizados

Dominios neuropsicológicos analisados

Documentação científica: Bateria de tarefas validada.

Esta ferramenta está composta por um conjunto de tarefas validadas cientificamente [14] que avaliam numerosas habilidades cognitivas. Além, a bateria cognitiva computadorizada foi baseada nos rigorosos estudos de campo da neurociência produzindo resultados psicométricos muito satisfatórios e uma fiabilidade no estadístico Alpha de Cronbach que ronda o 9.

Após da realização da avaliação, o programa de CogniFit cria um resumo dos resultados a partir do conjunto de todas as tarefas e de todas as áreas. Graças a esses resultados, tanto o profissional como o usuário, vão lograr saber o nível cognitivo geral e específico em cada uma das áreas que são avaliadas no Teste Cognitivo.

Os blocos seguintes explicam a importância de avaliar as diferentes funções cognitivas e quais são as habilidades que se devem avaliar para obter um resultado completo do estado de saúde cognitiva do usuário.

MEMÓRIA

É uma das faculdades mais importantes para o ser humano, graças a ela se pode armazenar representações internas do conhecimento em nosso cérebro e reter acontecimentos do passado o do momento presente. Este processo se leva a cabo através da aprendizagem, o qual, faz que a memória seja codificada temporalmente em circuitos neuronais. O objetivo da memória é recuperar a informação armazenada e expô-la nas diferentes situações, já que sem ela as vivências e experiências do passado seriam perdidas para o individuo.

O hipocampo do cérebro dispõe das diferentes funções memorísticas, essa vai ser a área que tem que se reforçar para obter resultados favoráveis da memória. Com a Avaliação Cognitiva (CAB) de CogniFit poderá ser obtido um resultado sobre o estado da memória em cada usuário.

Estas são cada uma das áreas que integram a memória e que vão ser avaliadas na Avaliação Cognitiva de CogniFit.

ATENÇÃO

A atenção é a capacidade humana que acompanha todo processo cognitivo e que é encarregada de processar informação proveniente dos estímulos externos e internos e de atribuir aqueles recursos que permitam uma correta assimilação do entorno. Ao mesmo tempo, a atenção influencia diretamente em outros processos cognitivos como a memória ou a percepção.

A atenção é um mecanismo neuronal composto por um conjunto de conexões neuronais tanto corticais como subcorticais que se encontram predominantemente no hemisfério direito. A atenção ajuda o ser humano em numerosas funções da vida diária, como enfocar a consciência, filtrar ou descartar informação do ambiente além de exercitar outras funções cognitivas como a memória ou a percepção.

Estas são cada uma das habilidades cognitivas que conformam a atenção e que vão ser calculadas na Avaliação Cognitiva de CogniFit.

PERCEPÇÃO

A percepção é a qualidade cognitiva encarregada do reconhecimento e interpretação dos estímulos sensoriais que recebemos através dos sentidos. Usamos a percepção para dar sentido as sensações, dando a eles um significado e um ordem. Para elaborar um processo cognitivo, a percepção é colocada em primer lugar, ou seja, no momento em que a primeira informação é recebida por nossos sentidos é transformada por um elemento reconhecido e compreensível pela nossa consciência. Para que o processo se realize adequadamente vai ser necessário um processo de assimilação e de compreensão da informação recebida pelo exterior.

A percepção vai ser um elemento importante para a análise que o ser humano faz do mundo que o rodeia, o processo perceptivo da pessoa vai ser único em cada um. Para que o ser humano recorra a efetuar o processo de percepção e interpretação, se deve recorrer á memória como elemento principal que intervém no processo.

Estas são cada uma das habilidades cognitivas que conformam a percepção e que vão ser calculadas na Avaliação Cognitiva de CogniFit.

COORDENAÇÃO

Quando se fala de coordenação, é o termo que faz referência á ação de trabalho duma serie de elementos para fazer uma ação em conjunto. A coordenação tem como objetivo gerar uns resultados a partir de diversas tarefas que vão formar parte dum processo com um fim determinado.

A parte do cérebro encarregada da coordenação é o cerebelo, o qual autoriza á informação que recolhemos do exterior a chegar á nosso corpo adequadamente. Ajuda a manter uma união e coerência entre os estímulos e a realização da ação correspondente. Num principio, o objetivo vão ser aprender a ação para posteriormente automatizá-la para que exista uma regulação em nosso cérebro.

Estas são cada uma das habilidades cognitivas que integram a coordenação e que vão ser calculadas na avaliação Cognitiva de CogniFit.

RAZONAMENTO

O raciocínio é o processo cognitivo através do qual uma pessoa organiza e estructura as suas ideias para obter uma conclusão determinada. Através do raciocínio, a pessoa mostrará uma coerência interna entre o seu discurso e pensamento. A habilidade de raciocinar está formada por um conjunto de orações com desenvolvimento e conclusão que seguem fio conductor e que faz que estejam conectadas entre si, conseguindo assim uma lógica nas premissas.

Para uma pessoa, o raciocínio será uma área importante a avaliar, uma vez que ajuda a argumentar o nosso diálogo, estabelecer princípios de classificação, relacionar, ordenar e planificar as nossas ideias e ações, seguindo uma lógica.

Estas são cada uma das áreas que conformam o raciocinio e que vão ser calculadas na Avaliação Cognitiva de CogniFit.

Estas são cada uma das habilidades cognitivas que conformam o raciocino e que vão ser calculadas na Avaliação Cognitiva de CogniFit.

Documentação cientifica

Cada uma das tarefas que expõe a Bateria de Avaliação Cognitiva (CAB) tem sido validada pelo método cientifico baseado na evidência para fornecer uma avaliação efetiva do cérebro e de seu estado cognitivo geral.

As investigações demostraram que o programa de CogniFit tem uma alta validade na avaliação do estado cerebral e nas funções cognitivas. Além, foi projetada para validar cada uma das tarefas cognitivas do usuário e para obter a partir de exaustivos resultados as pontuações do nível cognitivo cerebral do usuário.

O objetivo destes testes exaustivos é o de proporcionar ao profissional e ao usuário uma ferramenta de avaliação cognitiva, a partir da qual os resultados obtidos na avaliação cognitiva, são traduzidos em pontuações médias de cada uma das habilidades cognitivas medidas. A avaliação permitirá saber quais são as áreas psicológicas mais fortes e quais são as debilidades cognitivas de cada usuário.

Medição e resultados da execução das probas cognitivas

A avaliação, tal como já mencionado, está composta por um conjunto de tarefas. Ao inicio de cada uma delas vão aparecer umas instruções. O usuário deverá lê-las atentamente para realizar com sucesso cada tarefa.

Uma vez completada a bateria de avaliação, o programa de CogniFit vão obter resultados gerais e específicos do nível cognitivo do usuário. Além, o programa garante uma grande eficácia graças á supervisão do usuário e o ajuste das tarefas a tempo real.

Os resultados obtidos em cada avaliação vão ser comparados com o percentil que corresponda com cada faixa etária. É dizer, a idade vai ser uma variável muito importante para concluir os resultados e por tanto o nível cognitivo do usuário.

Através da apresentação gráfica dos resultados, o profissional poderá obter uma completa análise do nível cognitivo do usuário. Com estes gráficos e tabelas é nos permitido avaliar de maneira conclusiva os resultados e assim obter um diagnóstico determinado.

Resultados das habilidades em tabelas.

Nesta primeira imagem dos resultados, serão observadas as áres mais desenvolvidas, as áreas com pontuação média (em amarelo) e as áreas mais deficitárias, que são as que se deve prestar mais atenção.

Resultados gráficos de comparação com o resto da população.
Resultados gráficos de comparação com pessoas do mesmo rango de idade.

Na terceira e quarta imagem observam-se os resultados do usuário em comparação com o resto da população e com as pessoas do mesmo rango de idade. Esta Curva de Gauss mostra que as pontuações médias são as que se encontram no meio da curva.

Desenvolvimento cognitivo dos resultados

Na imagem da gráfica, o profissional podera observar o desenvolvimento do estado cognitivo da pessoa pelo numero de sessões. Num primer lugar se pode observar como a pontuação da gráfica aumenta a partir da terceira sessão pelo efeito da aprendizagem das tarefas, mais a partir das seguintes sessões é ajustado e regulado á uns resultados médios. Esta alteração dos resultados vai ser algo comum entre as pontuações dos usuários.

Referências

[1] Conners, C. K. (1989). Manual for Conners’ rating scales. North Tonawanda, NY: Multi-Health Systems.

[2] Wechsler, D. (1945). A standardized memory scale for clinical use. The Journal of Psychology: Interdisciplinary and Applied, 19(1), 87-95

[3] Korkman, M., Kirk, U., & Kemp, S (1998). NEPSY: A developmental neuropsychological assessment. Psychological Corporation. Korkman, M., Kirk, U., & Kemp, S (1998). Manual for the NEPSY. San Antonio, TX: Psychological corporation.

[4] Tombaugh, T. N. (1996). Test of memory malingering: TOMM. North Tonawanda, NY: Multi-Health Systems.

[5] Rey. Schmidt, M. (1994). Rey auditory verbal learning test: a handbook. Los Angeles: Western Psychological Services.

[6] Toglia, J. P. (1993). Contextual memory test. Tucson, AZ: Therapy Skill Builders.

[7] Stroop, J. R (1935). Studies of interference in serial verbal reactions. Journal of experimental psychology, 18(6), 643.

[8] Heaton, R. K. (1981). A manual for the Wisconsin card sorting test. Western Psycological Services.

[9] Shallice, T (1982). Specific impairments of planning. Philosophical Transactions of the Royal Society B: Biological Sciences, 298(1089), 199-209.

[10] Hooper, E. H. (1983). Hooper visual organization test (VOT).

[11] Greenberg, L. M., Kindschi, C. L., & Corman, C. L. (1996). TOVA test of variables of attention: clinical guide. St. Paul, MN: TOVA Research Foundation.

[12] Asato, M. R., Sweeney, J. A., & Luna, B (2006). Cognitive processes in the development of TOL performance. Neuropsychologia, 44(12), 2259-2269.

[13]Goh, D. S., & Swerdlik, M. E. (1985). FROSTIG DEVELOPMENTAL TEST OF VISUAL PERCEPTION. Test critiques, 2, 293.

[14] Peretz C, AD Korczyn, E Shatil, V Aharonson, Birnboim S, N. Giladi - Baseado num Programa Informático, Treinamento Cognitivo Personalizado versus Jogos de Computador Clássicos: Um Estudo Randomizado, Duplo Cego, Prospectivo da Estimulação Cognitiva - Neuroepidemiología 2011; 36:91-9.

Por favor, escreva o seu endereço de e-mail